Quem sou

Não tenho nenhuma pretensão política. Não sou petista, nem tucano. Sou alguém profundamente incomodado com a crise ética da nossa política.

Fui comunista na adolescência. Vi meus sonhos de um “mundo igualitário” ruir sob regimes totalitários e definitivamente sepultado com a queda do muro de Berlim. Renovei minhas esperanças nas eleições de 1989, onde militei para eleger Lula. Sofri com a derrota e com o governo Collor. Fui às ruas exigir sua saída. Simpatizei com o governo Itamar Franco e com o primeiro governo FHC. Fiz oposição à reeleição ao seu segundo mandato. Renovei minhas esperanças com Lula em 2002. Tive a minha maior decepção política com o PT já em 2004. Fiquei apático nas eleições de 2006 e nos anos seguintes, mas não consegui continuar indiferente à escalada de descalabros que se sucederam nos últimos meses no nosso Congresso, com o apoio total do nosso mandatário maior (além dos absurdos no nosso Judiciário e da mídia contra e a favor de Lula) .

Sinto-me, portanto, com uma visão plural da política brasileira, uma vez que já estive em ambos os lados dos dois extremos que agora se digladiam.  Acredito na ética e na revolução da Internet como um importante vetor no processo de conscientização dos nossos eleitores, para que estes sejam cada vez mais críticos e seletivos quanto aos nossos representantes. Neste contexto, tento dar minha contribuição com este blog, no qual tento ser o mais imparcial possível.

Acredito também que a única forma de depurarmos nossos políticos é castigando-os nas urnas. Sei que o processo é lento e, certamente, terei ainda muitas decepções pela frente. Felizmente ainda temos a democracia e a esperança em um futuro onde a voz dos eleitores se faça cada vez mais ouvida na grande rede e que a verdade que brota do processo histórico ilumine nossos filhos e netos.

Amilton Aquino

amiltonaquino@yahoo.com.br

——————————————————————————–

“Porque políticos são como fraldas. Devem ser trocados frequentemente. Pela mesma razão” (Eça de Queiroz)

Anúncios
  1. Aline Leal
    agosto 19, 2009 às 12:05 am

    Muito esclarecedores seus textos. Parabéns!

  2. setembro 2, 2009 às 12:48 pm

    Olá Amilton,

    Parabéns pela iniciativa e coragem.

    Já pensei como vc, é só votar na esquerda que estou contribuindo para um mundo melhor. Mas a realidade é outra. Todos os partidos são iguais: PT,PV,DEM,PMDB,PSOL e outros. Os “caciques”, os dirigentes comandam os representantes eleitos por nós e ficamos reféns da cúpulo dos partidos.

    Por isso, que temos que criar um partido, no modelo da democracia direta, sendo que TODOS os filiados irão decidir o posicionamento do representante eleito pelo partido. E não como acontece hoje.Cerca de 200 pessoas de cada partido manipulam a vontade de milhões de pessoas. A opinião pública precisa de voz para fazer as reformas que o país precisa.

    Junte-se a nós.

    Temos que inovar. Temos que pensar diferente.

    Desde já agradeço a atenção.

    Anilton Oliveira
    São Paulo-SP
    http://www.democraciadiretaja.net

  3. setembro 7, 2009 às 8:40 am

    sou o leu leutraix. gostei demais desse portal. salvei nos meus favoritos tanto do explorer quanto do mozila firefox abraço continue assim,em 2010 votarei em serra, nunca votei em lula nem voto.

  4. Marcia
    setembro 7, 2009 às 11:14 am

    “Porque políticos são como fraldas. Devem ser trocados frequentemente. Pela mesma razão” (Eça de Queiroz)

    Rapaz, achei interessante o seu blog. Quero, entretanto, pedir-lhe para grafar corretamente “FRAUDAS”.

    • setembro 7, 2009 às 11:29 am

      Ops! Foi mal! 🙂 É que copiei e colei a citação de algum lugar da web e não prestei muita atenção na grafia. Valeu a observação!

  5. wellington
    setembro 23, 2009 às 8:55 am

    ola amilton, por acaso descobrir este espaco onde podemos expor nosso sentimento quanto a esta politica interesseira que atua no Brasil desde sua descoberta. Um pais que pleteia posicao em G8, conselho de seguranca da ONU etc… e uma piada ouvir o Sr LULA e cia falar sobre G8 os paises que fazem parte do G8 tem, estradas seguras para andarem, tem leis que sao fiscalizadas, existe punicoes para pobres e para ricos, a politica e levado a serio e com respeito o povo e rspeitado como cidadao. Um exemplo da palhacada que e nossa politica foi a noticia que li: Romário se filia ao PSB e diz que já entra no partido ‘sentado na janela’
    “Ainda não sei se vou ser candidato, mas quem sou eu pra decidir”, brincou.
    Ex-jogador comete gafe e fala em ajudar crianças carentes.
    E uma piada ou nao e ?

    • setembro 23, 2009 às 8:20 pm

      Seja bem vindo, Wellington! Certamente teremos muito assunto a abordar sobre este país cheio de absurdos. Infelizmente!

  6. outubro 3, 2009 às 7:50 pm

    “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma ciência.” – Rui Barbosa

    Amilton, desejo que a cada dia possas acordar inspirado para escrever seus brilhantes artigos e nos iluminar e trazer um pouco de esperança por um Brasil melhor, com um povo mais inteligente e livre destas mazelas que nos governam, dando espaço para os homens de caráter e boas intenções. Satisfação amigo!

  7. outubro 10, 2009 às 6:16 am

    Eu passei a seguir você no Twitter ontem, e já me deparei hoje com excelentes postagens.
    Obviamente vou ler todas as antigas no que se refere a dívida interna, pois já desconfiava de alguma coisa, por ser típico deste governo mentir.
    Abraços e bem-vindo.

  8. Ayrton Costa
    outubro 10, 2009 às 11:28 pm

    Meu caro, Em primeiro lugar não acredito em pessoas que mudam tanto de opinião como você, passou por quase todas as esferas do pensamento político, da extrema esquerda à direita, só faltou ir à extrema direita, talvez quem saiba… Passei em seu site por acaso e pelo besteirol que li, com tantas superficialidades e incoerências disfarçadas de neutralidade, essa de “mídia contra e a favor de Lula” eu nunca tinha escutado, nem os mais radicais como o tal do Reinaldo Azevedo teve tamanha cara de pau, o que mostra como você tenta ser o mais imparcial possível .Com certeza não perderei meu tempo novamente. Só quero que saiba… aliás não quero que saiba nada não. Já fui…

    • outubro 11, 2009 às 6:23 am

      Meu caro Ayrton Costa, certamente vc é um discípulo de Paulo Henrique Amorin, aquele que critica a imprensa, que se diz representante do jornalismo “moderno e colaborativo”, mas que censura comentários como os meus. Por que será?

      Pelo menos aqui vc tem total liberdade para expor suas idéias. Mas, onde estão suas idéias? Vc é o retrato fiel dos seguidores do Lula: desprovidos de qualquer censo crítico. Só ouvem o que querem ouvir. Para vcs não existe o cinza: ou é preto ou é branco. Enfim, onde estão seus contra-argumentos?

      Amigo, iguais a vc, esbanjando bravatas, se achando os “informados”, já apareceram vários por aqui (basta ver os comentários), mas não resistiram ao debate e sabe por que? Porque têm medo de ver o que não querem ver. Volte quando quiser, mas, por favor, venha com argumentos, não com bravatas.

  9. outubro 16, 2009 às 4:59 pm

    Sr. Amilton Aquino, qual o endereço do seu twitter, por favor?
    Quero segui-lo para, assim, ver seus comentários os quais gostei muito.
    Luan Holanda

  10. pauloDe Boni
    outubro 17, 2009 às 10:08 am

    Meu amigo,gostei muito de voce.Pensamos a mesma coisa, ou quase…visto que eu já desisti deste pais, nao tenho mais tempo para ver um Brasil Livre de corrupção e mentiras, e com Democracia.Um STF independente,tanta coisa…
    Mas, eu batalho por meus filhos e amigos.Parabéns e continue.Eu quero ter no minimo uns 30000 seguidores e tento esclarecer e repassar textos tipo o teu, e participo de muitas comunidades.Mas não tenho partido, aliás teria que começar com uma ideologia, que nenhum tem….
    Um abraço e vamos em frente….

  11. Paulo
    outubro 29, 2009 às 9:40 pm

    Olá amilton comecei a ler alguns de seus comentários e até levei um suste. Caramba, encontrei alguem que pensa como eu, apartidário, imparcial e em busca de um pais melhor para o povo brasileiro. Mas confesso que a medida que eu lia seus comentários fui me decepcionando. A imparcialidade é inerente aos seres humanos, normalmente exige muito esforço para evitá-la. Parece que não é diferente com voce, mas pelo menos voce demonstra intenção, espero que seja verdadeira. O lance de vc se declarar que já foi comunista e votou no Lula e está decepcionado, também, deixou-me com o pé atrás. Não é coerente com uma linha de pensamento ideológico. Ideologia, aliás, é inerente aos seres humanos, quem diz que não tem é porque não conseguiu enxergar, mas com 3 ou 4 perguntas é possível delinear.
    Sou apartidário, mas sinto desapontá-lo, mas não consigo evitar minha admiração pelo Lula, por mais que eu tente. É uma questão de lógica e eu sou (infelizmente) muito racional. Por dever de oficio acompanho “real time” tudo que acontece no Brasil e no Mundo que tem impacto na política e na Economia. Infelizmente, o cara é carismático, competente e consequentemente tem aprovação de 80% no Brasil e 100% no exterior.
    Se eu estiver enganado quanto a sua posição, mil desculpas, acho importante externar minha percepção, pois com certeza não é só minha e vale para reflexão.
    Um abraço, e parabéns pena iniciativa.

  12. Paulo
    outubro 29, 2009 às 10:10 pm

    Olá Amilton sou eu novamente. Desculpe ter participado de seu blog. Achei que fosse um espaço onde poderíamos discutir as questões políticas, sociais e econômicas num nível mais elevado sem contaminação, mas infelizmente errei de endereço. Após fazer a citação acima fui ler os conteudos existentes no blog. Ai percebi que, ao contrario do que vc disse, tudo está polarizado na questão Lula x FHC. Todos temos liberdade de expressão e de posição política. Mas vc declarou ser isento, imparcial, etc e todos seus artigos, gráficos, etc contem distorçoes, manipulações. Aí vc faltou com a ética compromentendo até seu carater.

    Não vou incomodar mais, desculpe novamente.

    • outubro 30, 2009 às 10:19 am

      Paulo,

      Realmente quando criei este blog eu tinha uma posição muito mais imparcial do que eu tenho hoje. O que ocorreu é que quanto mais me aprofundo nos estudos de cada tema, mais me afasto do Lula.

      Realmente ser imparcial é difícil, amigo. Veja vc, começou dizendo ser apartidário e já no final do seu primeiro post estava falando em “100% de aprovação” do Lula!

      Mas de uma coisa tenha certeza: hoje não me iludo com ninguém. Nem com oposição nem com situação. Se hoje minhas críticas são mais direcionadas ao Lula é justamente pelo fato de que ele está no poder e, por isso mesmo, é quem deve ser julgado. O PSDB já foi julgado em duas eleições, está fora do foco.

      As comparações Lula x FHC são inevitáveis justamente para desfazer a ilusão que Lula vende a população de que tudo neste país foi feito a partir do seu governo e que nada presta fora dele. Aliás, Lula é quem estimula tais comparações toda vez que nos seus inúmeros comícios fala a famosa frase “nunca na história deste país” com o objetivo claro de se promover e, ao contrário, diminuir os seus antecessores. Se se comportasse realmente como presidente (e não como um eterno candidato) não teríamos esta polarização de hoje.

      E já que vc falou em “mal caráter”, o que dizer de uma pessoa pública que relega completamente o seu passado, defendendo hoje as idéias que antes criticava sem ao menos ter a humildade de reconhecer em público que estava errado? Ao contrário, o seu ídolo Lula tenta abafar todas as contradições desqualificando seus opositores, semeado o ódio e colocando-se num pedestal.

      Amigo, uma das principais virtudes dos grandes estadistas é a capacidade de pensar mais no país do que em si próprio. E neste quesito, pode ter certeza que a nota de Lula é baixíssima, pois todos os seus atos são pensados com o principal objetivo de ganhar votos. A maior prova disso é que nunca desceu do palanque. O país vai para o segundo plano. O problema da dívida é emblemático. O Brasil hoje poderia hoje estar com recursos sobrando se o atual governo tivesse um mínimo de responsabilidade com os recursos públicos. Mesmo com o superávit primário, continuou emitindo títulos da dívida para financiar seu projeto político, empurrando com a barriga o ciclo da ciranda financeira que antes criticava quando oposição e que leva 30% do no nosso orçamento com juros e renovações de títulos.

      O seu legado político é triste. Com seus 80% de popularidade, certamente poderia apontar para uma mudança na forma de fazer política no país. Ao invés disso, sacramenta, institucionaliza o “toma lá dá cá” e acirra mais ainda o ódio à oposição, oposição esta quase inexistente.

      Quanto aos gráficos, eles são construídos com os números oficiais citando cada uma das fontes. O que muda é interpretação de tais números. O Governo os usa da forma que convém. Minha interpretação visa justamente mostrar o lado que o Governo tenta esconder. Se vc acha que minhas interpretações são manipulações, então vamos discutir sobre o assunto nos posts específicos.

  13. Paulo
    outubro 30, 2009 às 1:36 pm

    Amilton:
    1) Sou apartidário sim e quem me conhece pessoalmente sabe o que estou dizendo. Sou humanista (nem sei porque, acho que independe da gente mesmo) e por isso sempre voto nessa linha, por ex o proprio FHC. Minha ideologia, meu posicionamento transcende ao PT como vc achou que me identifico. Tenho respeito e admiração pelo Lider e Estadista Lula, porque através da sua posição como presidente alguns de minhas expectativas politico-sociais puderam ser viabilizadas.
    2) Toda pessoa tem o direito de ter sua posição política, tanto eu quanto voce. Isso é livre. Mas por uma questão de ética/credibilidade, penso que voce deveria alterar o conteúdo do QUEM SOU, pois como vc mesmo disse, já não representa sua realidade.
    Boa sorte.

    • outubro 31, 2009 às 9:27 am

      Paulo, a frase que vc contesta diz “tento ser o mais imparcial possível”. Ou seja, eu tento, mas nem sempre consigo, pois como vc mesmo afirmou (e concordo contigo nisso) ser totalmente imparcial é impossível, pois todos temos opiniões e nossos argumentos são construídos em cima das idéias que acreditamos, idéias estas que são mutáveis, como minha própria trajetória demonstra. Hoje, no entanto, o meu conceito sobre Lula é bem diferente do seu. Meus motivos estão sendo expostos em cada um dos posts publicados. Não me iludo com a melhora sensível do país nos últimos anos, pois percebo que a melhoria é fruto do contexto histórico do qual Lula atrai para si de forma cínica todos os méritos. A política econômica e o bolsa família são apenas dois exemplos de apropriação dos méritos. Se vc não lembra, quando candidato, o próprio Lula criticava as bolsas do governo FHC, assim como criticava a política econômica e a ciranda financeira (além da corrupção, claro). No poder, unificou todas as bolsas de FHC e “assumiu” a paternidade do programa, manteve a política econômica sem mudar nada (era para mudar) e mergulhou na lama da corrupção. Tudo isso com a cara mais cínica do mundo, sempre procurando se promover em cima da demonização da já capenga oposição. Todo bem que todo mundo tem o direito de mudar de opinião, mas uma pessoa pública deve, no mínimo, medir as palavras (e principalmente o tom das palavras) em respeito ao seu próprio passado e ao público. Quando alguém chega ao ponto a que Lula chegou, esquecendo a própria história e sem demonstrar um mínimo de humildade para reconhecer que estava errado, das duas uma: ou esta pessoa sofre da amnésia ou não tem um mínimo de caráter. Daí concluo que divergimos também sobre os conceitos de “ética” e “credibilidade”.

  14. novembro 6, 2009 às 1:20 am

    Caro Aquino,Gostei de sua maneira sincera de dizer que esta decepcionado com as esquerdas. A maioria das pessoas de esquerda, mesmo sabendo-se erradas jamais o admitem. Lendo seus artigos sobre Lula e a divida me senti ate mais leve pois assimilei perfeitamente o que aconteceu. Eu nao conseguia entender a artimanha que o mesmo fez com o FMI para inventar a mentira de que havia pago o total da divida.Bem esclarecedor! Certamente visita-lo-ei mais vezes. Gostei de conhece-lo. Ah! Fraldas e o correto e nao “fraudas”, ta?

    • novembro 6, 2009 às 1:26 am

      KKKKK! Já tinha corrigido isso no texto, esqueci no título. Valeu!

  15. novembro 13, 2009 às 1:30 am

    Caro Amilton,
    Fiz uma leitura diagonal dos seus textos.
    Gostei, e achei muito interessante a sua iniciativa.
    Tenho uma trajetória muito semelhante a que você apresentou.
    Só votei no Lula contra o Collor.
    Gostava do Lula nos anos oitenta, mas estudei finanças, economia, orçamento público, e percebi que seu plano não era de Governo e sim de poder.
    Você lembrou muito bem do episódio em que Lula (e o PT é claro) criticava a distribuição de cestas básicas, pois fazia o povo pensar com a barriga…
    Olhe, gostaria de saber qual a sua formação acadêmica e profissional.
    Encontrei o seu site procurando séries históricas para rebater um quadro comparativo FHC versus Lula.
    Já está um pouco tarde, por isso farei contato em outro momento pk?
    Eduardo Dantas

  16. novembro 13, 2009 às 7:41 am

    Olá Eduardo,
    Sou formado em Comunicação Social pela UFPE, mas estou afastado da carreira há mais de dez anos. Hoje sou programador. Obrigado pela visita e elogios. Abraço!

    • novembro 15, 2009 às 4:21 pm

      Oi Amilton,
      Não existe possibilidade de aprimoramento da cidadania sem um mínimo de entendimento do desempenho dos nossos governos, o que exige alguma conexão com o mundo do conhecimento.
      Fico impressionado que um profissional de Comunicação Social, sem qualquer demérito à profissão, tenha tanto domínio e fluidez em assuntos relacionados com as ciências econômicas.
      Qualquer político sério precisa de pessoas como você, e qualquer cidadão precisa ler o que você escreve para amadurecer sua cidadania, e deixar de ser cidadão torcedor.
      Será que você teria a série histórica (média mensal) do EMBI+ (Risco país), de 1994 até hoje?
      Eduardo Dantas

      • novembro 16, 2009 às 9:52 pm

        Olá Eduardo,
        Vc descreveu muito bem o momento atual com a expressão “cidadão torcedor”. Lula conseguiu piorar ainda mais este quadro ao acirrar a disputa política entre governo e oposição. Sobram discussões acaloradas na web, mas falta a razão, infelizmente.

        Sobre as séries históricas, dei uma pesquisada rápida na web e mais uma vez me surpreendi com a dificuldade de encontrar dados sobre indicadores tão falados pela imprensa. Não tenho tempo agora de me aprofundar nesta pesquisa, mas se encontrar, certamente publicarei aqui. Se vc conseguir antes, por favor, me manda por email. Abraço!

  17. novembro 21, 2009 às 12:29 am

    Já que tocaram no assunto, irei lhe defender.
    Para encerrar de uma vez este assunto sobre a palavra “fralda”.
    De acordo com o dicionário Aurélio:
    “- Fralda: Retângulo de pano macio, ou de material equivalente, que se usa dobrado, de modo que se adapte às entrepernas e nádegas do bebê, a fim de absorver os excrementos.”
    Logo, você postou corretamente no título do seu blog a palavra “fralda”.
    Um abraço, amigo.
    Luan Holanda

    • novembro 21, 2009 às 11:41 am

      KKKKKKKKKKK! Polêmica encerrada! “Frauda” deriva do verbo “fraudar”. Certamente o subconsciente atuou, pois a política está muito associada a este verbo. Infelizmente.

  18. Nahim
    novembro 26, 2009 às 1:25 pm

    Caro Amilton,
    Comecei a ler seu blog hj, depois que minha namorada disse que, não tendo nada para ver na tv, resolveu assistir a tv senado e viu um certo senador, cujo nome ela não sabia, apontar, indicando dados obtidos na internet, a farsa do pagamento da dívida externa do governo Lula, e pedindo explicações ao senador Aloísio Mercadante, que se calou diante dos dados. Curioso, fui pesquisar sobre isso na internet e cheguei a seu blog. Li todos os artigos sobre o tema (confesso que com uma certa pressa) e fiquei me perguntando: de que lado está esse cara? Os seus dados, por serem objetivos, positivos, fornecem argumentos para todos os que se declaram oposição, seja centro, esquerda ou direita. Mas me simpatizei porque, apesar de eu me colocar à esquerda, não demonizo os tucanos, acredito que no governo de FHC tivemos tanto conquistas quanto retrocessos e não santifico nem demonizo o governo Lula. Acredito que tanto a direita quanto a esquerda no Brasil, e principalmente a esquerda, defendem mais interesses de grupo do que interesses de classe, ou, o que seria mais correto nessa altura do campeonato, defender os interesses da nação. Lendo depois outros artigos, percebi que você não é nem um centro-direitista defendendo os dogmas neo-liberais e muito menos um ultra-esquerdista seguindo uma cartilha marxista (mesmo porque consegue demonstrar imparcialidade). Mas, parafraseando o que você disse, um cidadão inconformado que vê na internet um meio de informar e levantar a reflexão. Parabenizo você pela iniciativa! Não podemos ficar na conversa mole: “ah, mas no governo de FHC era assim e assado, no de Lula não tem isso”; precisamos criticar o presente em prol do futuro. Mas que futuro desejamos? A maior parte das pessoas se mantém alienadas, pouco informadas, apenas seguindo a onda. E a minoria que se diz politizada, ou é de uma obediência jesuíta, seguindo sem questionar o que dizem seus líderes partidários, ou, se tem alguma inteligência, é fisiológica e incapaz de auto-crítica e/ou corrupto. O que precisamos acima de tudo é ser críticos com todos os lados, e privilegiarmos a sinceridade.
    Um abraço e, novamente, meus parabéns.

    • novembro 26, 2009 às 11:55 pm

      Olá Nahim,
      É gratificante para mim ler seu comentário. Seria muito bom que os radicais de ambos os lados fossem abertos a outras idéias como vc. Um abraço!

  19. Abbud
    janeiro 8, 2010 às 10:33 pm

    Olá Amilton, descobri seu blog pesquisando informações sobre crescimento economico FHC versus LULA, estava começando achar que estava ficando louco sozinho, estava indignado com o discurso do LULA e do PT e com a sua reciprocidade ignorante do povo, e entao encontrei seu blog e vi que não estava louco nem sozinhho.

    Comecei a pesquisar dados para confirmar o que pessoas como nós, que infelizmente é a minoria neste país,e que ainda é chamada pejorativamente de elite, só por ter conceitos diferentes de sociedade.

    Acabei entrando com vários comentários logo de cara no post FHC x LULA, e só agora deixo esta mensagem para voce.

    Me desculpo desde já pelo tamanho do texto, mas gostaria de aproveitar a oportunidade para compartilhar um pouco dos meus pensamentose e história.

    Filho de lider estudantil,que lutou contra a didatura (sem fazer querrilha e matar ninguem como futuras candidatas a presidente) sempre me interessei pelos assuntos políticos do Brasil, amo este país e sonho que um dia seremos um exemplo de sociedade para o mundo, e para isso precisamos de pessoas e iniciativas como a sua.

    Tive o privilégio de nascer no final da ditadura (1976) e acompanhar uma das evoluções mais fantásticas deste páis, do final do “milagre economico”, passando pela década perdida, a redemocratização, a abertura, a estabilização e chegando até hoje, um período de teste de democracia, política e esturuta de nosso País.

    Em 92, no impeachment do Collor, estava no segundo ano da Escola Técnica Federal de São Paulo, e apesar de muitos do meus colegas irem para as ruas com as caras pintadas , não fui um deles , pois ainda com 16 anos achava que tal movimento era puramente farra e manipulação, e de nada adiantava derrubar um presidente se o Vice e o Congresso continuassem o mesmo processo, que se confirmou em parte 12 anos depois, quando por muito menos LULA não sofreu absolutamente nenhuma pressão popular por impeachment.

    Não votava ainda em 90 mas se votasse muito provavelmente seria em Afif.

    Nas eleições seguintes, sempre votava no PT para o Legislativo e no PSDB para o executivo, acreditava que o balanço fiscalizador de um lado e executivo do outro era o ideal, so votei uma única vez no PT para o executivo, foi para prefeito quando Marta foi para o segundo Turno contra Maluf, ai não teve jeito, era o ruim contra o péssimo, pois nunca votei em branco ou nulo.

    FHC com todos os seus erros e necessidade de composições políticas para governar, foi um dos maiores estadistas que este país já teve, e poucos poderiam coduzir e arrumar a casa naquele momento como ele.

    Em 2002 nem para o legistavo votei no PT, o projeto de poder do PT já estava claro para mim.

    Em 2004 votei em Cristovao Buarque, pois acredito que é urgente um projeto educacional nacional, que na minha cabeça so vai existir quando tivermos um sistema federal de educação eficiente: Da primeira a nona série, todas as escolas passariam a ser federais, professores todos funcionários federais bem capacitados e remunerados, infraestrutura e manutenção de responsabilidade dos Estados e Transporte e Merenda de responsabilidade dos municípios (Ninguem melhor do que o prefeito para garantir que todas as nossas crianças cheguem as escolas e tenham alimentação e assitencia adequada),assim professores federais não estariam sujeitos a desmandos e interesses políticos locais, e qualquer desvio do Estado ou Município seriam punidos imediatamente com corte de repasses federais e a intervenção federal na escola em questão. Plano pedagocigo e educacional extremamente exigente e padronizado do Iapoque ao Xui, é possível é so querer!

    Só assim daqui a 20 anos poderemos ter uma sociedade realmente justa e próspera ,imune e independente de programas assistencialistas e populistas como o Bolsa Familia Eterno.

    Qualquer política social que não passe por um projeto de educação básica, não será sustentável, a história das naçoes e do mundo é uma prova mais do que clara disso.

    Parabéns Amilton e conte comigo no que precisar para realizarmos o sonho de mudarmos este país.

    Abraços

  20. Neca Boullosa
    março 28, 2010 às 9:09 am

    Olá, Amilton.

    Realmente, lendo assim, em um primeiro momento, até parece que vc está sendo imparcial.
    Mas basta uma análise um pouco mais crítica (e nem estou falando dos números) para ver duas coisas:

    1 – Como pode alguém fazer uma análise econômica imparcial, e antes de gráfico, colocar uma charge preconceituosa? Cada charge já demonstra que não há a menor imparcialidade no que vem depois dela. Vc sempre vai “torcer” os fatos, para eles justificarem as charges.
    2 – Vc já trocou tanto de partido e de opinião na vida, que nem sei o que vc é hoje. Mas imparcial é que não é. Essa história de ex-comunista arrependido que “conhece os dois lados” é clássica. Quem garante que (assim como estava errado um monte de vezes), deve estar REDONDAMENTE ENGANADO agora? Nos seus tempos de Comunista, vc também fazia análise e gráficos mostrando que o comunismo era a melhor coisa para o Brasil?

    • março 29, 2010 às 8:27 am

      Olá Neca,

      Fui bem claro na minha apresentação, onde digo que “tento” ser o mais imparcial possível. Digo que tento porque a imparcialidade absoluta não existe quando falamos de política, economia ou qualquer assunto que tenha algum viés sociológico. Todo nós temos opiniões que se aproximam ou se afastam das ideologias, conforme o momento histórico e o amadurecimento da nossa percepção.

      Claro que tenho a percepção de que minha opinião de hoje poderá mudar no futuro. Neste ponto vc tem razão. Mas certamente ela não mudará tão radicalmente quanto no passado, pois hoje a experiência não me permite mais mergulhar de cabeça nas ondas que vem em vão. Diferente do passado, hoje não me deixo mais levar por paixões políticas. Direita e esquerda tem suas porções de razão e tento extrair delas o que mais me parece racional, levanto em conta o contexto histórico e, claro, minha experiência de vida. Neste contexto, não sou esquerda nem direita, pois uma das coisas que aprendi na vida é que as idéias quanto mais radicais, mais afastadas da realidade.

      Minha posição é bem clara: combato a “lulodolatria”, pois percebo que os méritos de Lula estão inflacionados pelo bom cenário que pegou. Poderia até fazer vistas grossas se Lula não estimulasse a divisão do país entre os que apóiam sua idolatria e os que são contra. Mas meu senso de justiça não me permite ficar calado ao ver tanta manipulação, principalmente entre as classes mais populares. As comparações descontextualizadas de Lula nos seus muitos comícios de tão repetidas estão se transformando em “verdades”. Resta, portanto, aos remanescentes que não se deixaram levar pela “lulodolatria” tentar mostrar a quem interessar que as coisas não são bem assim como conta a máquina de marketing do PT.

      Claro que ao me afastar de Lula isto automaticamente me aproxima de FHC, já que este é o único contraponto que temos ao ídolo Lula. Mas, quanto mais debato sobre este assunto, mais convicto fico das idéias que defendo hoje, pois até aqui os adeptos de Lula não tem trazido argumentos consistentes, os quais não resistem ao mínimo aprofundamento das questões colocadas. Leia os debates abaixo dos pots e veja do que estou falando.

      Na ótica dos fanáticos, claro que hoje sou caracterizado como um tucano com “T” maiúsculo. No entanto, se vc acompanhar meus comentários certamente vai perceber que tenho uma visão crítica também em relação a estes. Se hoje as minhas críticas se concentram mais no PT é porque este é o partido que está no poder e que, portanto, deve ser avaliado. Pode ter certeza de que, se o PSDB ganhar as próximas eleições, certamente estarei criticando pois tenho a consciência de que o DEM (e muitos políticos desonestos do PSDB) vão mostrar suas garras novamente.

      O importante é que nos mantenhamos atentos e críticos, pois só assim poderemos melhorar a nossa representação.

      Infelizmente no quesito ética não temos muitas opções (com exceção de Marina Silva que, infelizmente, não tem muitas chances). Resta-nos, portanto, colocar em prática um dos fundamentos básicos da democracia que é alternar o poder o máximo possível, além de não reeleger figuras que nos decepcionaram no quesito mais importante: ética, pois, como o slogan do blog diz, “Político é como fralda. Deve ser trocado com freqüência. Pelo mesmo motivo”.

      Abraço

  21. David Sensu
    abril 1, 2010 às 4:24 pm

    Tão experiente e tão apaixonado… Ainda não sei se você acredita no que está falando ou se está apenas montando um escudo, mas não vi nesse blog uma “luta” pela imparcialidade. E é com muita dúvida que recebo esse seu comentário “se o próximo governo for do PSDB terei uma postura de criticá-los”. Bom, mas o que mais me chamou a antenção foi a paixão: “A única opção ética seria a Marina”. Depois de tudo o que o aconteceu você ainda acredita nisso? Não há paladinos da ética, o que temos para o momento são muitos políticos, alguns corruptos outros nem tanto, e certamente seja qual for o presidente terá que governar com esses políticos. Acho um pouco injusta essa pregação de que Lula faz vistas grossas para corrupção. Vou explicar a razão: No primeiro mandato Lula mandou claramente a PF investigar seja que fosse e colocou um dos melhores diretores que a PF já teve para tocar essa nova fase da única polícia brasileira que investiga os políticos. O que acontenceu? Pessoas ligadas ao PT, e (majoritariamente) políticos não ligados ao PT (muitas vezes que compunham também a base de apoio ao PT) foram investigados e processados. Diferente do governo FHC, essa fase da PF foi digna de orgulho, parecia realmente que o Brasil tinha mudado. O que fez a imprensa e os bobos de plantão? Conforme a PF investigava e denunciava políticos, o que nunca havia sido feito com tanto ímpeto e neutralidade no Brasil, essas pessoas começaram a associar as denúncias e os processos com o governo Lula. Como se antes todos fossem uns santos e agora que os “Petralhas” assumiram o poder virou uma corrupção geral. Entendo esse pensamento dos ignorantes, mas das pessoas esclarecidas?? Só se for de má fé. Resumindo o desfecho dessa história, Lula não aguentou a pressão da mídia, tirou do cargo o chefe da PF e colocou no lugar o Dr. “Algema só em pobre”. Apesar do que você pensa, os números importam sim. Se não dá pra tirar da análise a diferença do momento histórico da economia mundial, e principalmente da economia brasileira, também é ilógico e leviando dizer que quando nosso time faz um gol devemos comemorar com a vaca por ter proporcionado o couro da bola (parafraseando um comentário que eu li de um colega hoje). Isso me remete a outra falácia muito usada por defensores do governo elitista empenhado por FHC, “o programa de distribuição de renda foi obra do FHC, Lula só continuou”. Falácia, porque primeiro evidentemente, qualquer mosquito sabe, que esse programa não foi ïnventado pelo FHC, já existia em diversos países e em diversas formas. O FHC foi o primeiro a implementar o programa no Brasil (Collor e Sarney não tiveram essa iniciativa), sendo assim fica evidente que o que importa de fato é a aplicação do programa e não quem o “inventou”. Pois bem, se é assim, o que importa de fato é como esse programa muda a vida das pessoas o número de pessoas beneficiadas. É tão irrelevante dizer que o FHC iniciou o bolsa família, quanto é comparar Charles Miller com Pelé. Sinto muito por você, mas Lula é nosso Pelé… Ele realmente deseja erradicar a pobreza, mesmo contra a elite direitista que prefere dizer que o bolsa família se trata de bolsa esmola e que não quer sustentar vagabundo. “Temos que ensinar a pescar e não dar o peixe.” Como se os filhos do Abílio Diniz nascessem com as mesmas chances obter sustento dos mares como os filhos da Dona Lindu.

    • abril 1, 2010 às 8:30 pm

      Meu caro David,

      Com disse no comentário anterior, eu TENTO ser imparcial, mas reconheço que é difícil, pois a cada dia me sinto mais incomodado com o populismo instaurado neste país. Poderia ser mais imparcial, se hoje tivéssemos no poder um presidente que respeitasse as instituições, que não fizesse comícios descarados, que não tentasse a todo custo se promover e, ao contrário, denegrir os outros, que não estimulasse a divisão da nossa sociedade entre os que o idolatram e os que o criticam, etc. etc.

      Portanto, meu objetivo é ajudar a combater a idolatria ao deus Lula, de colocar os pingos nos “ís”, contextualizando as comparações descabidas que todos os dias são alardeadas pelo PT como se este fosse o único responsável pelo desenvolvimento do Brasil.

      Quanto a minha postura crítica a um eventual governo do PSDB não preciso lhe provar nada, pois quem me conhece desde os tempos da era FHC sabe que tive uma postura crítica também em relação a este. Ninguém é perfeito e qualquer que for o governo sempre haverá acertos e erros. O que não podemos, no entanto, é baixarmos a cabeça e comprarmos os discursos dos grupos políticos como se fizéssemos parte de torcidas times de futebol disputando um campeonato.

      Com relação a sua defesa da ética de Lula nas “investigações de políticos do PT” é para morrer de rir, amigo. Como alguém que me atribui o rótulo de “apaixonado”, alguém que crítica a minha “imparcialidade” pode ser tão apaixonado e ingênuo?

      Ora, se as denúncias do Roberto Jefferson não tivessem vindo à tona, até hoje os políticos do PT estariam ilesos. Claro que diante de uma situação destas, tentando se “descolar” do PT, o que restava ao “Não Sabia Lula da Silva” era fazer este tipo de discurso institucional, “reservando a PF a tarefa de investigar” e, claro, diminuindo a importância da CPI. Mais uma postura contrária ao que defendia quando oposição onde tudo era motivo de CPI, lembra? Igualzinho às bolsas de FHC que criticava quando oposição e que se tornou seu principal “diferencial” depois que se tornou presidente.

      Mas esta é uma questão menor. O mais importante legado que o PT poderia deixar para o Brasil (um exemplo de ética), este não aconteceu. Pior: salientou a crença de que político é tudo igual e que este é melhor porque “rouba, mas faz”. No poder, Lula não só repetiu a política do toma-lá-dá-cá, como ressuscitou figuras como Sarney, Collor e Renan. Até Maluf virou lulista!

      E tudo isso para nada, pois Lula vai terminar seu segundo mandato sem colocar em prática uma única reforma das cinco prometidas ainda no seu discurso de posse em 2003 (veja o vídeo aqui http://www.youtube.com/watch?v=eFjnQbhIGb8). Nem mesmo a famosa Reforma Agrária, bandeira histórica do PT, foi capaz de implementar.

      Aliás, esta tem sido a tônica deste governo. Tudo que desgasta, protela-se ao máximo até jogar para o próximo governo. Lembra do fator previdenciário? Pois é, na oposição o PT fez de tudo para barrá-lo no Congresso. No poder, teve oito anos para anulá-lo e não o anulou. Mais uma vez, colocou sua tropa de choque para fazer de tudo para evitar que o projeto de extinção do fator previdenciário fosse aprovado, adiando sua discussão para 2011. Ou seja, mais um exemplo de incoerência e cara-de-pau do seu “Pelé” da política.

  22. David Sensu
    abril 1, 2010 às 8:43 pm

    Estou esperando os comentários…
    a) Você só vai liberar os meus posts depois de respondê-los
    b) Vai boicotar mesmo e ter a postura que tanto critica no PHA (e faço vozes com vc sobre isso, ele censura mesmo…)
    c) Está viajando para Maresias no momento e só estará de volta depois do feriado

    Ainda não sei se devo tratá-lo como um colega que precisa discutir essas opiniões ingênuas quanto ao PSDB e o PT e com debate pode perceber que não é porque o comunismo fracassou que o que temos hoje pode ser considerado um sucesso. Por que você acha que na nossa sociedade (não só no Brasil), há tantas pessoas passando fome? Por que isso é aceitável? Se é trabalhador, vagabundo, pobre, rico, negro, branco, índio, americano, brasileiro, nigeriano, por que isso é tão importante? Por que nós deveríamos aceitar que exista uma única pessoa no mundo passando fome? Por que quem acredita em Deus (mesmo quem não acredita, é que pra mim é mais absurdo ainda quem acredita), acha que pode passar pelo mundo e não tem nenhum compromisso com isso? “Eles que trabalhem…”, “Eu faço a minha parte.” Como isso é aceitável? Quem vamos eleger presidente? Pra mim tem que ser alguém que tenha um compromisso sério com a erradicação da pobreza. E vou lutar contra qualquer um que pense diferente disso. Eu não quero saber se fulano é metalúrgico e se o outro deu aula na Sorbone. Claro que eu quero como presidente alguém que mantenha o país crescendo, mas com o objetivo claro de acabar com a miséria. E sinceramente esse não é o compromisso do Serra. Ficou claro que o PT não é o grande defensor da ética, mas sinto dizer que esse posto definitivamente não pode ser ocupado pelo PSDB. Como disse antes, já deveríamos ter aprendido que não existe esse paladino, o Brasil é o como é, o presidente eleito não consegue mudar isso com um mandato. Essa mudança tem que ser construída por anos, com a redução da pobreza e o acesso à educação.

    • abril 5, 2010 às 7:39 am

      Olá David,

      Até fevereiro os comentários deste blog entravam direto sem necessidade de habilitação. Infelizmente tive que incluir o recurso de moderação por três motivos:
      1) Grande parte dos comentários são simples xingamentos, ataques pessoais sem qualquer argumentação;
      2) Alguns comentários são apenas repetições, alguns simples copy-paste, algo que torna o debate redundante, exigindo respostas também redundantes.
      3) Não tenho muito tempo disponível para me dedicar à política. Logo, a moderação dos comentários é também uma forma de controlar o ritmo dos meus comentários, pois, se respondo imediatamente, isto provoca réplicas, o que exige respostas e assim sucessivamente. Como não tenho nenhum ganho financeiro para estar aqui, me reservo ao direito de pelo menos definir o ritmo em que posso me dedicar a esta atividade.

      Portanto, ao contrário do PHA que tem muitos motivos ($$$$$$$$$$) para idolatrar Lula, razão pelo qual censura comentários de pessoas como eu, aqui pode ter certeza que por este motivo os seus não serão. Podem demorar um pouco para serem habilitados, pois nem sempre tenho tempo de acessar, quanto mais ler e responder a todos os comentários. Neste final de semana, por exemplo, me desliguei completamente da política. Ou seja, a alternativa citada por vc é, portanto, “C”. (rsrsrssrsrsrsr). Agora se eu libero antes ou depois de responder, aí já é um direito meu e vc não tem nada a ver com isso, pois primeiro leio os comentários que me chegam via email e só depois logo no blog para liberar todos de uma vez. Poupa-me tempo, algo que tenho muito pouco.

      Quanto ao seu comentário, concordo com a maioria dos seus questionamentos. Ao contrário do que vc pensa, não sou um direitista que acha que o mundo está lindo e tem que ser assim e ponto final. Acho que o mundo está passando por um processo de transformação, pois os países ricos chegaram a um ponto em que seus mercados internos saturaram, suas taxas de crescimento minguaram e agora as grandes corporações destes países se vêem obrigadas a procurar os mercados emergentes, daí um dos motivos do nosso crescimento nos últimos anos. Daqui a alguns anos chegaremos ao mesmo patamar dos países do primeiro mundo e aí nossas megaempresas também sofrerão com a redução do ritmo de expansão do nosso mercado consumidor e buscarão os mercados dos retardatários do desenvolvimento na América Latina e na África e assim sucessivamente. Neste processo, certamente vamos ter que mudar hábitos, ter cada vez mais uma consciência ecológica e levar em consideração a sustentabilidade da economia não só local, como mundial. O caminho é longo e árduo, mas quando comparamos o mundo atual com o de 100 anos atrás percebemos que damos alguns passos importantes. Mais recentemente as nações tem se reunido com maior frequência para discutir problemas globais. Se os resultados ainda não são palpáveis, pelo menos já temos aí mais um passo importante nesta direção.

      Discordo de vc apenas quando idolatra Lula pela redução da pobreza nos últimos anos e, ao contrário, afirma que Serra não teria compromisso com a continuação deste processo. Aí amigo entra em ação o pré-conceito dos fanáticos esquerdistas que acreditam que são os únicos capazes de promover justiça social. Nunca fui fã de Serra, mas não vejo porque vê-lo como um vampiro que quer vender e Petrobrás (como alardeia PHA) ou como um ultra-direitista que está se lixando para a miséria como pinta vc. Se vc não lembra, Serra tem um histórico que em nada tem a ver com a direita, aliás, foi vítima da ditadura. Quando ministro de FHC mostrou bastante competência e, pelo que atestam as pesquisas em SP, tem um governo aprovado pelos paulistas, apesar da imensa popularidade de Lula e da aguerrida militância de fanáticos petistas que insiste em acirrar os ânimos dos contra e a favor a sua idolatria.

      Também vale lembrá-lo que a origem do PSDB foi de uma dissidência do PMDB ainda quando este partido não tinha se tornado a grande prostituta da política nacional. Liderados por Mário Covas, os tucanos chegaram ao poder como um partido de centro-esquerda. Claro que, diante dos desafios que FHC teve que enfrentar, contando com a oposição feroz do PT, teve que fazer alianças com a outra grande prostituta da política nacional, o antigo PFL. Claro que o PT no auge da sua fase de “paladinos da ética” fizeram de tudo para caracterizar os tucanos com o rótulo de direita, ainda mais depois das privatizações. Mas, e o PT? Em que difere do PSDB no poder? As alianças com políticos corruptos, idem; privatizações, idem; política econômica “neoliberal”, idem; ciranda financeira, idem.

      Ah, mas vc e outros aqui vão dizer que o governo Lula se diferencia pela redução da pobreza. Sobre este “diferencial”, devo lembrar-lhes que este é um processo que foi iniciado na era FHC e só se intensificou na era Lula devido ao bom momento da economia mundial e a ampliação dos programas sociais lançados no governo anterior, já que o Fome Zero de Lula ficou no zero(nem mesmo a idéia da unificação é do PT. Se vc não sabe, a idéia foi de Marcelo Perillo).Ou seja, a aceleração do ritmo da redução da pobreza ocorreria com Lula ou sem Lula no poder, pois se as verbas para os programas sociais aumentaram na era Lula, isto só ocorreu porque a arrecadação do país aumentou. Só que o Bolsa Família cresceu percentualmente menos que a arrecadação.

      Claro que hoje é fácil para Lula fazer bravatas com números já que ele dispõe de um orçamento de R$ 1,8 TRILHÃO para governar para uma população de aproximadamente 200 milhões de habitantes. Queria ver se Lula teria tantos “méritos” na redução da pobreza se tivesse assumido em 1995, com um orçamento de pouco mais de R$ 100 bilhões para governar para uma população de 164 milhões de brasileiros, tendo que lutar contra a inflação e contra sucessivas crises internacionais. Isso sem falar no cenário mundial amplamente favorável a Lula, pois, se vc não sabe, depois da renda per capta mundial passar os oito anos de FHC estacionada em U$ 5,2 mil, pulou para U$ 9 mil apenas nos primeiros seis anos do Governo Lula. É mais dinheiro circulando em uma população mundial que cresce a cada ano mais lentamente. Para alguém desprovido de paixões políticas é fácil avaliar os méritos de cada um. Para os fanáticos, no entanto, só falta dizer que o mudo cresceu mais rápido por causa do “Pelé da política”. Rsssss.

  23. David Sensu
    abril 1, 2010 às 9:06 pm

    Discordo profundamente de você, e realmente acho que você continua sendo apaixonado. Não tem essa de legado da ética, não existe isso no mundo todo, por que você acha que isso pode acontecer no Brasil? Eu não defendi o PT e nem falei que o Lula não sabia do mensalão, por favor, não rebata meus argumentos citando coisas que eu não disse. Disse que foram os anos mais atuante da PF no combate à corrupção. Você contesta isso? Pois foi isso que eu falei, se não for pra contestar não tem debate. Se você vai debater sozinho, simulando falas minhas para depois ridicularizá-las, realmente agora já sei qual categoria te enquadrar (eu sou assim, humano, tenho poucas informações e realmente preciso te categorizar para saber como devo tratá-lo).
    Quanto a toda essa turma que você enumerou, esquece-se que estavam todos com FHC nos dois mandatos dele? O Maluf não é aliado do PT (já se juntou ao PT tanto quando ao PSDB), está dizendo palavras de apoio obviamente para se aproveitar da popularidade do presidente, não porque faz parte da “panelinha”.
    Quanto às reformas, realmente foi uma falha (de ambos, FHC e Lula). Agora insinuar que o fator redutor foi uma “mal necessário” que o PT criticou e depois não fez nada para tirá-lo, aí é uma visão ofuscada. A reforma na previdência evidentemente precisava atacar o funcionalismo público, essa sim era impopular. Mas seu querido amigo FHC, que você diz que critica, mas que apoia uma das maiores barberagens que ele cometeu, preferiu passar a conta pro trabalhador. Aposentadoria integral pro funcionalismo público não tem problema, agora aposentado pobre ganhar 10 salários mínimos (que na época era uma quantia ridícula), isso não… Sem falar nas privatizações a preços de bananas, favorecendo amigos banqueiros… Mas principalmente, discordo de você do legado do Lula, sinceramente acho que o maior legado que ele deveria deixar era o do combate à fome, acesso à educação, salário mínimo mais decente, urbanização de favelas, desenvolver as regiões mais pobres. Eu realmente acho que esse é o legado que o nosso Pelé da política deveria ter deixado, e graças ao próprio talento e vontate (e não a vaca, aquela que fornece o couro pra fabricação da bola), ele conseguiu.

    • abril 5, 2010 às 7:49 am

      Meu caro David,

      O “cara” construiu sua fama falando de ética, rotulando os outros de picaretas, tentando criar CPIs e etc. Chega ao poder e repete tudo o que criticava e vc acha isso normal? Vc mais uma vez me rotula de “apaixonado”, porém, pelo que sei sobre o assunto, este é um estado (paixão) onde as pessoas só conseguem ver as qualidades da pessoa amada. Neste caso, o “apaixonado” aqui certamente não sou eu. Ora, o mínimo que se esperava de um governo que foi eleito com o discurso da ética seria uma postura diferente, ainda mais com um governo que não se deu ao trabalho de colocar em votação pelo menos uma única das reformas prometidas. FHC pelo menos teve a desculpa de promover algumas votações importantes como a Lei de Responsabilidade Fiscal e a quebra dos monopólios em um país que ainda lutava para se estabilizar numa época de instabilidade generalizada entre os emergentes. Mas, e Lula? Como explicar sua defesa incondicional a Sarney?

      Com sua imensa popularidade poderia aproveitar o momento de imensa impopularidade do Congresso e colocá-lo numa saia justa, exortando os parlamentares a fazer valer os mandados conferidos pela população para votar os projetos de interesse do pais de acordo com os méritos dos projetos e não e não de acordo com as conveniências de situação e oposição, como acontece descaradamente. O próprio Lula tem exemplos de sobra que mostram o quanto é diferente ser oposição e governo (veja suas contradições). Portanto, poderia dar um importante passo na evolução da política citando os próprios exemplos e usando sua habilidade conciliadora para chamar a oposição para um diálogo construtivo ao invés de alimentar as disputas com seus discursos inflamados e populistas. Ainda mais às vésperas de entrar no último ano de mandato, com a popularidade em alta e com uma população revoltada contra o Congresso.

      Ao invés disso, colocou sua tropa de choque em ação para esvaziar CPIs (lembra da comissão formada só com senadores biônicos?), colocou Sarney acima dos simples mortais (diferenciando-os dos cidadãos comuns sujeitos aos rigores da lei) e pior: ameaçou o Ministério Público de “supressão de poder” caso os procuradores insistissem nas investigações, justamente o MP, uma das poucas instituições atuantes do país justamente numa área onde temos mais carência, que é combate a corrupção. A ameaça surtiu efeito, pois até o MP parece ter tirado o time de campo nas investigações sobre as graves acusações contra o clã Sarney, mesmo depois das provas incontestáveis divulgadas pela imprensa. Para sepultar definitivamente o assunto, o “Pelé da Política”ainda deu uma jogada de “mestre” ao lançar o projeto de Pré-sal às vésperas do Congresso entrar de férias, justamente em um momento em que a sociedade começava a se mobilizar diante dos desmandos do Senado. Como resultado, até hoje o Estadão está censurado. E onde está o presidente que não dá um pio sobre o assunto? Justamente ele que gosta tanto de falar…

      Bom, agora que o caldo entortou na disputa pelos royalties do petróleo, mais uma vez ele muda o discurso e pede para que a discussão sobre o projeto (que foi encaminhado em regime de urgência) seja adiada para o próximo ano, já que a emenda Ibsen o colocou em uma saia justa na briga entre os estados produtores e não produtores. E ainda teve a cara-de-pau de atribuir a mundança de opinião sobre a urgência do projeto ao calendário político!!!!

      Enfim, poderíamos hoje ter um presidente isento no poder, que contribuísse para o debate do futuro do país, e não um populista que aproveita cada momento para se promover e, como sempre, atacar seu antecessor, a quem ele deve muito.

      Quanto às ações da PF de fato ela melhorou. Se o diretor que Lula nomeou é mais competente, palmas para ele. Mas isso não exime o PT das falcatruas apuradas. E o fato de vc não citar o que eu citei não significa que coloquei palavras na sua boca. Citei apenas fatos. Se vc discorda, poste aqui seus argumentos. Agora, se vc vai continuar me enquadrando e rotulando, não me incomodo. As pessoas que vem aqui que tirem suas conclusões.

      Quanto ao fator previdenciário, não entendi onde vc quis chegar, pois primeiro vc se espantou com as minhas colocações e, quando esperava pelo menos um argumento contrário, aí vc falou de injustiças cometidas por FHC (e continuadas por Lula, vale salientar), mudou de assunto descambou para as privatizações e toda aquela lenga-lenga que o PT adora citar, mas que no poder continua a repetir, mesmo depois de privatizar estradas, um dos mais lamentáveis erros de FHC.

      Por fim, amigo, todo o “legado” que vc citou do seu “Pelé” da política, quando contextualizados os méritos do governo são bem menores do que vc acredita. Se ele não tivesse esta obsessão de transformar as próximas eleições num plebiscito entre os que o idolatram e os que o combatem sua idoloatria, hoje poderíamos estar num debate mais racional e menos emotivo, poderíamos estar discutindo o futuro e não o passado, poderíamos estar discutindo idéias e não questiúnculas políticas. O medo dele (lula) é que a oposição vença as próximas eleições e o Brasil continue remando a favor do vento como nos últimos anos. Aí teríamos um outro patamar de comparação. Ou seja, tudo que Lula não quer já que isto o tiraria da categoria de “mito”. Por isso que ele tenta a todo custo lançar projetos megalomaníacos para os próximos presidentes, pois assim o sucessor entra com a responsabilidade de concretizar algo que ele já capitalizou os dividendos políticos. Se conseguir, não terá feito mais que a “obrigação” já que o “Pelé da política” deixou tudo “encaminhado”. Se falhar, claro, é porque é incompetente, o que fortaleceria sua posição de “mito”, sua verdadeira motivação em todo este processo.

  24. Abbud
    abril 12, 2010 às 11:51 pm

    David, apenas para refletir sobre o seu Pelé:

    1- O que LULA fez de diferente e melhor do que FHC? que reformas LULA fez? poderia me citar uma?

    2- Por que não temos notícia de nenhum, absolutamente nenhum, ex beneficiário do bolsa familía, seria este um programa eterno de dependencia social e compra de votos? Voce sabia que no Ceará nenhuma empregada doméstica quer mais ser registrada para nao perder o beneficio do bolsa família? é este o caminho correto para uma sociedade justa?

    3- O que reduziu mais a pobreza o plano real ou o bolsa família?

    4- Voce é contra ou a favor das privatizações? Venezuela, Cuba,Argentina e Bolivia são exemplos a serem seguidos?

    5- Voce concorda com a tese de que FHC so deixou uma herança maldita e nada de bom foi feito?

    Se responder estas questões de forma imparcial verá que esta equivocado em seus comentários até agora.

    Abraços

  25. Tuiuiu
    junho 3, 2010 às 12:34 pm

    Blog muito bom. Análises verdadeiras baseadas em fatos concretos (e ñ ideológicos) precisam ser feitas, para podermos entender a situação real do país e, assim, cobrarmos ações de forma correta, independente de quem esteja governando. Abaixo À lavagem cerebral e vivas a principios éticos e democráticos.

  26. Sandro
    setembro 25, 2010 às 3:28 am

    Amilton, parabéns pelos textos! são de altíssima qualidade técnica! fazia horas que procurava textos comparando os governos FHC e LULA como você o fez, ou seja, contextualizando os números e comparando os projetos e as conjunturas pelos quais cada um estava inserido! Ótimo mesmo! Já estou te seguindo no twitter e te indiquei para toda a minha lista de contatos! sugiro que escreva sobre nosso futuro agora, mostrando possíveis desdobramentos de um governo Dilma ou Serra. Você é economista? Onde mora? Grande abraço e continue nos brindando com a sua lucidez!

    • setembro 25, 2010 às 10:06 pm

      Obrigado Sandro,

      Se não houvessem tantas mentiras sendo repetidas o tempo todo pelo marketing oficial, certamente meus posts seriam mais centrados no futuro. Vou tentar arranjar um tempinho para escrever o post sugerido.

      Não sou economista. Sou um jornalista de formação, mas já faz uma década que mudei de área e hoje sou programador. Moro em Olinda, PE.
      Abraço

  27. Tiago
    setembro 30, 2010 às 2:30 am

    É notório que as conclusões de seu email são equivocas e cheio de vícios, não corresponde à realidade, nada BROTA DO ASFALTO! Tudo tem um motivo por trás, já imaginou se Lula fica inerte diante das dificuldades herdadas da era FHC, ou seja, não vou investir pq não temos dinheiro, não vamos aumentar o salário.. veja que a realidade hoje, com toda certeza, seria muito pior que da era FHC. Mas ele não ficou lamento e faz ações concretas que mudou a realidade do Brasil Qualquer estudioso político sério e responsável, vai apontar lula como um dos grandes presidentes que já tivemos. Acho que até o próprio FHC acha isso! FHC teve oportunidade em seu segundo mandato de fazer um bom governo, mas não o fez, por incompetência ou falta de interesse, agora através de pessoas alienadas, tenta tirar os avanços obtidos no governo lula! Realmente não consigo entender pq!!

    • setembro 30, 2010 às 8:40 am

      Tiago,

      Entendo vc porque também já fui “doutrinado” e “cheio de vícios”. Ao contrário do que vc pensa, não sou nenhum instrumento usado pela “direita golpista” como vcs doutrinados adoram pichar todas as pessoas que criticam este personagem Lula. Sou independente, não recebo um centavo de ninguém. Portanto, as idéias que posto aqui são resultantes de muita observação, de muita decepção e do acompanhamento diário da economia e das ações do presidente e não de um alienado qualquer “formado” através dos sites financiados pelo Governo. Aliás, se tem um grupo político neste país que trabalha intensamente para alienar a população este grupo é do PT com sua incrível máquina de publicidade.

      Em uma coisa tenho que concordar com vc. Nada brota do asfalto. O dinheiro que Lula faz a festa da gastança vem do trabalho dos milhões de brasileiros que pagam uma das maiores cargas tributárias do mundo. A contrário do que vc pensa, o sucesso de Lula é decorrente do sucesso da economia brasileira, e não o contrário.

      Não se engane pelo bom momento da economia hoje. Ele é fruto de um contexto histórico onde o Brasil foi amplamente beneficiado. Em bons momentos assim o Governo deveria fortalecer os fundamentos da economia que tornariam o nosso crescimento sustentável a longo prazo. Ao invés disso, o Governo atual queima todas as fichas que tem para promover um crescimento artificial, jogando a conta para o sucessor. Uma crise vem por aí e ela vai cair nas mãos do sucesso por causa da irresponsabilidade do governo atual que pensa mais nas eleições do que no próprio país.

      Mas pode ficar tranqüilo, pois sua candidata vai vencer e então vc vai ver um filme que já vi aqui em Recife: o sucessor fabricado herda a conta da arrumação da casa depois da festa e começa a se distanciar do tutor até transformarem-se em adversários. Talvez quando este dia chegar vc lembre de alguma coisa que leu no blog do alienado aqui.

  28. Tiago
    outubro 1, 2010 às 2:50 pm

    Nao concorda com nada que vc fala! O seu próprio texto já respondeu tudo, esses problemas apontados foram apenas alguns que o Governo Lula deu solução. Ou você acha que eles desaparecem do nada. Veja que o próprio governo FHC tinha conhecimento dos fatos que impediam o crescimento do Brasil e permaneceu inerteSeu texto falou tudo, na era FHC não existiam condições mínimas para atrair investidores estrangeiros. Mas o Lula não permaneceu inerte e irresponsável como FHC fez durante oito anos, vendo o problema na sua frente e fingindo de galinha morta. O lula através de varias iniciativas, como: PAC, aumento significativo nos salários, projeto de habitação, diminuição do IPI em produtos que aquecerem o mercado interno quando o mercado externo estava em crise, o tão criticado por vc bolsa família, deu dignidade e fez movimentar a economia local, investimentos em infra-estruturas, entre outros diversas iniciativas tomadas pelo governo lula geraram um avanço que digo sem medo de errar, NUNCA JAMAIS VISTO! citei apenas algumas que ele concretizou para reestruturar a economia brasileira. NÃO EXISTE MILAGRE!! Além disso, sua figura carismática e seu poder de verdadeiro chefe de Estado conseguiu conquistar a confiança de vários investidores estrangeiro. ANTIGAMENTE falar em investir no Brasil era sentença de morte! Lula conseguiu mudar essa realidade o famoso Lulinha paz e amor com toda certeza conseguiu mudar isso, nos sabemos que o mercado é feito de especulação, Lula conseguiu mudar a imagem do Brasil do inferno para o paraíso, as vezes até além da realidade. Não importa, o que de fato ocorreu é que ele conseguiu passar a imagem que o Brasil da certo, que no Brasil é seguro investir, coisa que passou longe do governo FHC…
    É muito engraçado falar que no FHC não existia dinheiro para investir que a economia não era estabilizada, meu DEUSSSSS!! Mas o problema todo sabe qual é, a diferença entre o FHC e Lula é que o Lula teve capacidade de mudar essa realidade coisa que o FHC não teve, não da pra justificar a incompetência do FHC em cima da realidade que ele mesmo criou.

    • outubro 1, 2010 às 11:03 pm

      Tiago,

      Não me leve a mal, mas vou ter que ser bem didático para te passar algumas coisas bem elementares sobre economia, pois só assim vc vai entender alguma coisa dos meus posts.

      Sabe aquele ditado popular que diz “dinheiro chama dinheiro”? Pois é, difícil é começar um negócio, mas depois que as coisas começam a andar, tudo se encaminha mais rapidamente.

      Levando este pequeno exemplo do dia-a-dia para a macroeconomia, acontece algo semelhante. Lula foi o primeiro presidente a assumir depois de duas décadas sem ter como principal desafio combater a inflação. Isto significa que ele pegou a “empresa” em um momento privilegiado. Não só por herdar a tão sonhada estabilidade (condição básica para o crescimento sustentável), mas também pelo ótimo momento da economia mundial que teve seu PIB praticamente duplicado entre 2003 e 2008, isso depois de passar os oito anos de FHC praticamente estagnada.

      Citando mais um exemplo do dia-a-dia, imagine que um pai de família ganhasse R$ 1.000 em 1995 para sustentar uma família de quatro pessoas. Difícil, né? Agora imagina este mesmo pai de família 16 anos depois, agora com um salário de R$ 10.000 para sustentar a mesma família com mais um membro. Claro que teve a inflação do período que devemos considerar, mas, convenhamos, ficou bem mais fácil administrar esta família, não?

      Pois bem, foi exatamente isso que aconteceu com o Brasil. FHC pegou o Brasil com um PIB de R$ 330 bilhões e a entregou com R$ 1,5 trilhão. Por sua vez, Lula vai entregar o Brasil para o sucessor com um PIB de R$ 3,3 trilhão, enquanto que a população aumentou apenas 24%.

      Ou seja, qualquer comparação que se faça entre os dois governos deve ser contextualizada, pois as realidades, como vc pode ver, são bem diferentes.

      Agora a parte trágica da historinha: o pai de família citado, mesmo com o aumento tão expressivo do salário continua comprometendo 30% de sua renda mensal juros do cartão de crédito. Pior: sua dívida continuou crescendo na mesma proporção dos tempos mais difíceis, quando ganhava apenas R$ 1.000,00! Ou seja, um péssimo administrador, pois aumenta os gastos num ritmo superior ao aumento do salário.

      Portanto, sugiro que vc leia os posts sobre os comparativo entre FHC e Lula (https://visaopanoramica.wordpress.com/category/comparacoes-lula-x-fhc/), já que parece que vc não leu nada. Se tiver um tempinho, leia também os debates com os leitores, pois vc vai ver que todos estes seus “argumentos” já foram exaustivamente debatidos.

  29. Cristhian
    outubro 4, 2010 às 2:14 pm

    Parabéns, Ha muito procuro textos como os seus, bem defendidos e com maestria transcrição dos fatos. Meu primeiro contato foi com o post: Comparação Lula x FHC.

    Os comentários são estarrecedores, vê-se com nitidez o que o icônico atual presidente produziu na mente do cidadão, inverdades, injurias e alienação, mais do que ele próprio supunha ser possível.

    Um forte abraço,

  30. Bartolo
    outubro 14, 2010 às 5:15 pm

    Oi Amilton,

    “Em 2010, o Bird afirmou que o país avançou na redução da pobreza e distribuição de renda. Segundo a entidade, apesar da desigualdade social ser ainda elevada, conseguiu-se reduzir a taxa de pobreza de 40% em 1990 para 9,1% em 2006, graças à avanços perpetrados pelos governos Collor, Itamar, FHC e Lula. Os maiores motivos para a redução teriam sido a inflação baixa e os programas de transferência de renda. No mesmo ano, estudo da economista Sonia Rocha, do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS), mostrou que o porcentual de pobres caiu de maneira sustentável no Brasil entre 2004 e 2008, durante o governo Lula. O levantamento, que teve como base os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE, apontou que a proporção de pobres no País caiu de 33,2% para 22,9% no período pesquisado”

    Pelo que entendo você se recusa a dar crédito ao Lula pela redução da miséria e pobreza no país. Tudo seria consequência da boa cama deixada por FHC para seu sucessor.

    Perguntas a você e todos os seus seguidores: Vocês acreditam que se FHC tivesse emplacado seu sucessor pelos mesmos 8 anos que se passaram, teríamos números tão positivos nesta questão, uma vez que esse nunca foi o foco de seu pensamento, muito menos de seu governo?

    Incoerência: Se os méritos do Bolsa-Família são de FHC, porque foi tão criticado pelos tucanos nestes 8 anos de péssima oposição e porque agora o Serra fala em aumentar o número de famílias impactadas? E porque só foi implantado em 2001, em seu último ano de governo?

    A única coisa que move a oposição hoje é o medo e o preconceito. Até hoje não enguliram o fato do Lula ter feito o que fez e ter se transformado em um símbolo mundial como um dos maiores estadistas da história. A oposição, para ser boa, deve ter uma motivação maior, que altere seu estado de espírito. Algo que transcenda o indivíduo. E hoje a oposição não tem nada assim. Apenas questões mesquinhas, de méritos… De seus computadores, postados em suas cadeiras, analisam os fatos de forma fria. Vão conhecer o Brasil, entendam o porque essa devoção que o povo tem pelo presidente. Vão ver a miséria de perto, vão conversar com essas pessoas, entender suas necessidades, seus anceios. Vão ver o que eles são capazes de fazer com R$ 200,00, que muitos chamam de bolsa esmola. Até gerar emprego este dinheiro gera. Dar uma volta por aí talvez ajude a abrirem-se novas idéias, novos horizontes, mais humanos e menos técnicos.

    • outubro 14, 2010 às 11:11 pm

      Olá Bartolo,

      A citação que vc postou salienta tudo que sustentamos aqui. O progresso verificado no Brasil nos últimos anos é resultante do acúmulo de conquistas somadas nas últimas décadas, principalmente a partir da abertura da nossa economia.

      De fato, durante o governo Lula houve uma aceleração deste processo. Isto é inquestionável. Porém, tais números devem ser relativizados, pois de um modo geral, todos os emergentes tiveram expressivas reduções da pobreza nos últimos anos. Ou seja, qualquer que fosse o presidente seria beneficiado com tal cenário, turbinado com uma combinação virtuosa de valorização das commodities, seis anos e meio de estabilidade sem crises internacionais e como aporte recorde de capitais na nossa economia, principalmente a partir do momento em que fomos incluídos no grupo BRICs, além da consolidação da estabilidade, condição básica para um crescimento sustentável.

      O fato dos programas sociais que originaram o Bolsa Família terem sido implantados nos dois últimos anos de FHC tem a ver com a disponibilidade de recursos. Afinal a toda a era FHC foi caracterizada por uma luta constante contra as pressões inflacionárias, cambiais e orçamentárias, já que houve uma explosão da dívida decorrente deste processo. Para saber um pouco mais sobre este assunto, sugiro que leia a última parte da série “Lula e a dívida pública”: https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/10/31/lula-e-a-divida-publica-final/

      Sobre as promessas de Serra, tenho que concordar com vc pois ele está exagerando nas promessas. Aliás, acho lamentável todo este processo eleitoral iniciado há três anos com o lançamento da “mãe” do PAC. O ufanismo criando pela máquina de marketing do PT que faz tudo parecer muito melhor do que realmente é (e em contrapartida tudo que é da oposição infinitamente pior) levou ao PSDB a fazer esta campanha ridícula de continuidade.

      Particularmente, acho que seria mais salutar para o Brasil e para a oposição (mesmo que isso levasse a uma derrota na eleição) falar a verdade, contextualizar todas as conquistas do PT, como fazemos aqui, e não ter medo de alertar sobre os problemas futuros decorrentes da política imediatista de Lula. Por isso ninguém fala dos reais problemas do país nesta campanha, pois o Governo vai sempre pintar um mar de rosas para o futuro e a oposição não quer parecer pessimista e assim remar contra o sentimento ufanista alimentado pelo populismo lulista. E então temos este retrocesso eleitoral que assistimos agora, inclusive com um presidente se comportando como cabo eleitoral, fazendo comícios todos os dias, numa total afronta às leis e instituições. A questão ética, nem falamos mais, pois esta foi relegada ao décimo plano.

      Este é, sem dúvida, um dos principais legados de Lula. A oposição lamentavelmente está aprendendo a lutar com as armas do PT. Uma lástima!

      Ps.: se vc quiser ver quais os reais problemas brasileiros, sugiro a nova série “Os desafios do pós-lula”: https://visaopanoramica.wordpress.com/2010/10/10/os-desafios-do-pos-lula-macroeconomia/

  31. David Andrade Monte
    outubro 17, 2010 às 8:04 pm

    Olá

    A constante tentativa de desconstrução das realizações dos governos que antecederam a trupe petista, por sí só, é forte indício de possível “mexicanização do partido único”, ou pior: a entronização e o endeusamento de “personas a la Cuba”…

    Portanto, caros, “DESCONTINUÍSMOS NELES!”

    Sds/

    David Andrade Monte

  32. Marcelo
    outubro 17, 2010 às 10:37 pm

    Se está preocupado com os gastos públicos e com a ética, então, deve conhecer o deputado mais votado do Brasil (proporcionalmente), JOSÉ ANTÔNIO REGUFFE, natural do Rio, e que pode puxar uma onda ética no Congresso. Ele abriu mão de salários, verbas e acessores; e diz que um mandato de qualidade não precisa de tanto dinheiro, mas sim, boas idéias.
    Melhor ainda: defende o voto distrital e financiamento público de campanha mas não entregando dinheiro na mão de partidos e candidatos. Como o dinheiro é público, defende a licitação para UMA empresa fazer os “santinhos”, outra para a produção de vídeo, e assim, TODOS OS CANDIDATOS TERIAM O MESMO ESPAÇO E IDENTIDADE VISUAL NA PROPAGANDA. A grande vantagem, portanto, é que a diferença na propaganda estará no CONTEÚDO.
    E mais, defende que uma promessa de campanha pode ser exigida em juízo, e o descumprimento da oferta implica em perda do mandato.
    Isso não passa no Congresso, mas existem mecanismos de democracia DIRETA, e se passou a ficha limpa, quem sabe a sociedade não consegue outra lei de iniciativa popular…

    Veja matéria abaixo da ISTOÉ.

    JOSÉ ANTÔNIO REGUFFE
    Um homem ficha limpa

    Dono da maior votação proporcional do País, José Antônio Reguffe chega à Câmara disposto a reduzir o salário dos deputados e o número de parlamentares no Congresso

    Adriana Nicacio, Hugo Marques e Sérgio Pardellas

    Aos 38 anos, o economista José Antônio Reguffe (PDT-DF) foi eleito deputado federal com a maior votação proporcional do País – 18,95% dos votos válidos (266.465 mil) no Distrito Federal. Caiu no gosto do eleitorado graças às posturas éticas adotadas como deputado distrital. Seus futuros colegas na Câmara dos Deputados que se preparem. Na Câmara Legislativa de Brasília, o político desagradou aos próprios pares ao abrir mão dos salários extras, de 14 dos 23 assessores e da verba indenizatória, economizando cerca de R$ 3 milhões em quatro anos. A partir de 2011, Reguffe pretende repetir a dose, mesmo ciente de que seu exemplo saneador vai contrariar a maioria dos 513 deputados federais. Promete não usar um único centavo da cota de passagens, dispensar o 14º e 15º salários, o auxílio-moradia e reduzir de R$ 13 mil para R$ 10 mil a cota de gabinete. “O mau político vai me odiar. Eu sei que é difícil trabalhar num lugar onde a maioria o odeia. Quero provar que é possível exercer o mandato parlamentar desperdiçando menos dinheiro dos cofres públicos”, disse em entrevista à ISTOÉ.

    • outubro 18, 2010 às 12:24 am

      Marcelo,

      Já vi uma entrevista do deputado Reguffe e fiquei também muito bem impressionado. Este, pelo menos até aqui, é um exemplo a ser seguido. São posturas como estas que nos animam a continuar por aqui debatendo exaustivamente. Espero sinceramente que o deputado consiga manter-se limpo em meio a tanta sujeira que terá que se defrontar. Todos os brasileiros que esforçaram-se na aprovação do Ficha Limpa devem agora acompanhar de perto tais iniciativas do nobre deputado. Que ele seja mais um voz na defesa da ética na política.

  33. Anderson Tiago
    outubro 20, 2010 às 2:58 pm

    Olá Amilton;

    Parabéns pelo seu site sou um representante do mundo jovem que ainda possui um pouco de esperança em um Brasil realmente justo e menos escravo da corrupção (acho que minha pouca idade e pouca experiência ainda não foram o suficiente para apagar esse rastro de esperança…rs). Embora tenha que concordar que sai de seu site muito mais bem informado, muito mesmo por que tive respaldo em números que comprovassem o que era escrito, tenho que afirmar que também sai com uma grande impressão que seu site é Pró FHC e Contra LULA, sua imparcialidade ficou um pouco abalada, não terminei de ler todos os post, mas creio que li uma quantidade suficiente para dar tal afirmação.
    Digo-te que isso deixa seu site com menos credibilidade, mas esse é um ponto franco em meio a muitos pontos fortes, já que seus textos e mais ainda os comentários de vários internautas, fazem com que seu site se torne uma grande fonte de informação.
    Minhas congratulações pelo seu conteúdo foram de muita utilidade para mim. Estou me formando em Ciências Contábeis por uma faculdade do Tocantins e seus comentários sobre a história da nossa evolução econômica me deram mais segurança para dar a Cezar o que é de Cezar, muito obrigado por isso.

    Um forte Abraço!

    • outubro 20, 2010 às 10:46 pm

      Olá Anderson,

      “Dar a Cezar o que é de Cezar”. Isto explica o porquê tenho defendido tanto o legado de FHC e, ao contrário, combatido o populismo lulista. É uma forma de contrabalançar o marketing oficial que tenta, a todo momento, endeusar Lula e demonizar FHC.
      Obrigado pelos elogios. São leitores como vc que me dão força para continuar gastando parte do meu tempo nesta jornada.

  34. Eudalia Torres
    outubro 22, 2010 às 4:25 pm

    Caro Amilton, lendo tudo o que falou sobre os desafios do proximo presidente (Pós lula), que pode ser a Dilma ou o Serra, são de um conhecimento e de uma coerencia inquestionável…um “Acorda Alice” aos eleitores Brasileiros, para enxergarmos o que o futuro nos reserva… Parabéns, vou indicar seu blog aos meus amigos do Facebook …

  35. adilson carvalho
    outubro 23, 2010 às 1:11 am

    Amilton, antes de agradecer você preciso agradecer o inventor da internet, depois agradecer o chefe do poder executivo que baixou o Decreto nº 2.534 de 02/04/1998 aprovando o Plano Geral de Outorgas de Serviço de Telecomunicações prestado no regime público o que nos dias de hoje permite aos brasileiros terem oportunidade de realizar suas devidas pesquisas e sair do mundo alienado da grande mídia, enfim, quero finalmente agradecer sua pessoa por criar grande oportunidade de agregar valiosa cultura sobre política econômica inclusive para aqueles que são leigos como eu,Parabéns!!!!

  36. José Emílio Gomes
    outubro 25, 2010 às 11:20 pm

    “Visão Panorâmica”…leitura obrigatória a partir de hoje…
    Parabéns e obrigado .

  37. yonara
    outubro 26, 2010 às 3:24 pm

    Postagens escalrecedoras… hj ao meio-dia discuti com um irmão por tentar fazê-lo ver que o governo Lula hj não é simplesmente um salvador da pátria como a ele se refere! Não sou pró-ninguém, sou do Brasil! E não consigo entender como certas pessoas ficam tão fanatizadas e cegas. Poxa, é evidente que o nosso país vem errando por muito tempo e não há como negar que de uns anos pra cá (leia-se Itamar e depois FHC), começamos a respirar melhor! Mas tem certas pessoas que não lêem e simplesmente preferem falar mal do FHC, por exemplo, sem argumento algum!! Eu sou a favor do Brasil e acho que tanto ele (FHC) quanto Lula, tiveram seus méritos e desméritos. O que me irrita é alguém achar que o Lula foi um cara que chegou e mudou tudo no país e por isso melhoramos tanto. Não! As mudanças começaram aos poucos, mas é difícil conversar com alguém sem ter dados. Então foi por isso que procurei a internet. Mandei o link deste blog para meu irmão pra ver se ele consegue ver com outros olhos a política brasileira que, com certeza, não ficou muito melhor somente por causa do Lula. Saliento que não sou contra o nosso atual presidente, até já votei nele mais de uma vez!! Só acho que ele não foi, definitivamente, o salvador do Brasil. Acho injusto não creidtar ao FHC, por exemplo, as boas coisas que fez. Pessoas que gritam, perdem a razão, e é isso que me incomoda em alguns petistas que sempre me parecem foras de si mesmos. Vou continuar acompanhando os fatos. Abs, Yonara

  38. Fabio CR
    outubro 26, 2010 às 3:30 pm

    Amilton,

    Parabéns pelo blog.

    Saiba que você realizou o que eu sempre tive vontade de fazer: uma análise detalhada de nossa história econômica recente de modo a dismistificar a auto-propaganda do governo atual.

    Faço votos de que continue nessa luta pela democracia, por um governo responsável e competente e por um país melhor para todos.

    Abraço.

  39. outubro 26, 2010 às 7:21 pm

    Amilton,

    Parabéns pelo blog. As informações contidas aqui não se encontram com facilidade nos outros lugares. É bom analisar as falácias por trás do discurso de que Lula foi responsável pelo “crescimento econômico com distribuição de renda”!

    Eu andei lendo os comentários e tive algumas dúvidas:

    1) Você disse: “Porém, 85% da divida deixada por FHC foi decorrente da resolução de problemas que vieram à tona com a queda da inflação, como o repasse de R$ 275 bilhões de dívidas dos Estados e municípios em troca da aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal; R$ 70 bilhões para o saneamento e fortalecimento de bancos estatais que hoje esbanjam saúde e que ajudaram o país a passar bem pela única crise que Lula enfrentou; R$ 143 bilhões dos passivos contingentes dos “esqueletos” que vieram à tona com a queda da inflação.”

    – Você pode me indicar a fonte dessa informação?
    – O que significa esse “saneamento” dos bancos? Esse dinheiro é injetado neles para quais fins precisamente?
    – O que são esses equeletos que vieram è tona com a queda da inflação?

    2) Em outro momento, você diz que a arrecadação de impostos no governo Lula é mais de 100% superior à arrecadação durante o governo de FHC.

    – você tem algum link que mostra essa evolução?

    3) É comum encontrarmos na mídia gráficos da dívida/PIB e carga tributária/PIB. Eu vejo que a variável exposta dessa forma torna-se mais “bonita” para Lula, pois o PIB esteve mais alto no seu governo. Além disso, se as riquezas do brasil são mais criadas pela iniciativa privada e as dívidas são mais provocadas pelo governo federal, vejo que me parece um pouco injustas essas variáveis.

    – Qual a sua opnião sobre isso?

    4)É frequentemente dito que a estabilidade econômica trouxe mais investidores estrangeiros para cá.

    – O que seriam exatamente esses invetidores? Mais bancos se instalaram aqui? Mais título de crédito foram cedidos? Qual a vantagem desse crédito cedido? Já não temos grupos estrangeiros que cedem créditos?
    – A iniciativa privada se dinamizou com essas medidas? De que forma? Quais setores exatamente?

    Gostaria de discutir essas questões, entre outras.

    Abraços,

    Paulo Segundo

    • outubro 26, 2010 às 10:50 pm

      Olá Paulo Segundo,

      Obrigado pelos elogios.

      Como estou sem tempo agora, vou te citar alguns links do blog onde vc vai encontrar as respostas que procura.
      Sobre o item 1) https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/10/31/lula-e-a-divida-publica-final/

      Sobre o item 2, o raciocínio é o seguinte: de 1995 até 2010 o PIB brasileiro pulou de R$ 350 bilhões para R$ 3,5 trilhão. Ou seja, aumentou 1000%, enquanto que no mesmo período a população brasileira aumentou 25% e a inflação foi de 90%. Além do mais a carga tributária em 1995 era de 29% e hoje de 38%. Ou seja, o governo hoje tem muito mais dinheiro para administrar para uma população que cresceu muito pouco.

      Sobre o item 3) https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/10/24/lula-e-a-divida-publica-parte-9/

      Sobre o item 4, houve uma verdadeira enxurrada de dólares para cá, a partir do momento em que o termo BRIC começou a ser popularizado. Para um país com as contas deficitárias como o nosso o financiamento externo é essencial, porém não deveria se estender indefinidamente. O problema é que o governo atual se acostumou com esta facilidade e andou aumentando os gastos pensando que esta bonança será para sempre. Os primeiros resultados negativos desse processo já começam a serem sentidos com o problema do câmbio os crescentes déficits das contas externas. Sugiro que leia o post “Os desafios do pós-Lula”, onde dou algumas pinceladas sobre as contradições da nossa macroeconomia atual.

      Abraço e volte sempre.

  40. Paulo Pedro Xavier
    outubro 26, 2010 às 11:44 pm

    Aquino.

    O texto abaixo desmonta TODOS os seus argumentos pró-FHC.

    O plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada. De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999. Outro mito é que seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Um governo que elevou a dívida pública do Brasil de 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal?

    O artigo é de Theotonio dos Santos.
    (Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Presidente da Cátedra da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimentos sustentável. Professor visitante nacional sênior da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e também amigo pessoal de FHC.

    Leiam o artigo completo:
    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=17113

    • outubro 27, 2010 às 11:38 pm

      Paulo Pedro Xavier,

      Este cara pode ser chamado de tudo, menos de amigo de FHC. Seu texto exala ódio e a cegueira típica dos radicais de ambos os lados desta irracional disputa eleitoral. Vamos então aos argumentos.

      Primeiro “mito” (e o mais importante que sustenta a fantástica teoria de que “o plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro”).

      Só para relembrar, o argumento do cidadão é que até “até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10% e, a partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%”. Ora, primeira coisa que chama a atenção: ele NÃO fala o quanto é superior a 10%, nem tampouco o quanto é inferior a 10%. Logo, a “hiperinflação” superior a 10% pode ser 11%, da mesma forma que “deflação” pode ser 9%. Ou seja, temos aí uma variação de 2% percentuais que se encaixa perfeitamente na fantástica teoria do Theotonio e que não teria a menor interferência na nossa taxa de inflação.

      E mesmo que houvesse de fato uma drástica queda na média da inflação mundial no referido período, isto também não provaria absolutamente nada, pois os índices de inflação podem variar exponencialmente de país para país, sendo que um plano econômico bem sucedido em um determinado país, por exemplo, poderia baixar inflações de mais de 1000% ao ano para menos de 10% em poucos meses, o que, por sua vez, baixaria sensivelmente a média da inflação mundial. E nem por isso esta queda da média da inflação significaria uma queda na nossa inflação, pois cada país tem seu próprio processo inflacionário, com suas peculiaridades.

      Continuando sua “brilhante” argumentação, o “amigo” de FHC repete uma das mais manjadas retóricas petistas, a de que FHC segurou o cambio fixo para ganhar as eleições.

      Primeiro, o cambio não era fixo, e sim semi-fixo. Tanto que a paridade dólar Real que começou em 0,85 centavos de dólar variou para 1,2 no momento da mudança do regime cambial para o flutuante, em 1999. Tentando ainda confundir o leitor ele afirma o seguinte “O fato é que quando você flexibilizou o cambio o real se desvalorizou chegando até a 4,00 reais por dólar”. Ora, quando ocorreu a flexibilização do regime cambial o dólar subiu de 1,2 reais para 2 reais, bem diferente dos 4 reais que o “amigo” de FHC tenta induzir o leitor a acreditar. Os 4 reais a que ele se refere só veio a ocorrer dois anos e meio depois da mudança do regime cambial, como conseqüência da chamada “Crise Lula”.

      Segundo, FHC não precisava segurar o cambio para ganhar as eleições. Tanto é que ganhou já no primeiro turno.

      Sobre o segundo “mito”, não vou perder muito meu tempo, pois já falei demais sobre isso aqui. Sugiro que leia então o artigo https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/10/31/lula-e-a-divida-publica-final/

      Vale salientar que o “amigo” de FHC cita a dívida interna deixada por FHC no valor de R$ 820 bilhões, valor este que contabiliza também os títulos em poder do BC. Se fosse considerada a mesma metodologia na contabilidade da dívida atual (já que o governo lula mudou a metodologia em 2007) esta estaria em mais de R$ 2,3 trilhões (até agosto).

      Sobre este terceiro mito, confesso que nunca ouvi falar. Ora, a ameaça Lula só ocorreu em meados de 2002. No entanto, o nobre intelectual volta novamente a 1999 para repetir a velha bravata sobre os empréstimos do FMI. Ora, se o FMI é assim tão pernicioso, por que então Lula agora empresta dinheiro ao órgão (mesmo comprometendo o equivalente a 35% da nossa arrecadação com juros e rolagens de dívidas)? Se o FMI é explorador, então por que financiar um explorador?

      Para finalizar, o nobre intelectual admite aquilo que falamos aqui o tempo todo: estamos passando por um processo populista. Se dirigindo a FHC ele fala o seguinte: “Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo”. Ou seja, Lula é o novo Vargas.

      Abraço,

      • outubro 28, 2010 às 12:17 am

        Amilton, nem precisava responder esse suposto amigo do FHC. Seus posts já responderam Theotonio dos Santos antes mesmo de ele pensar a escrever tais retóricas de palanque petista. Aqui se vê o exemplo clássico do carro na frente dos bois, ou seja, a resposta antes da pergunta.

  41. outubro 28, 2010 às 10:07 am

    Amilton,
    Eu gostaria que você explicasse aquela ladainha de que o país “quebrou” 3 vezes no governo FHC (até o Ciro costuma falar dessas tais quebras. Pelo que eu saiba (e como vc mesmo postou no blog), o Brasil quase quebrou, mas não quebrou, passando ileso pelas várias crises que sofreu (mexicana, asiática, russa, argentina). Por que dizem? É porque no tempo das crises o governo teve que recorrer ao “maldito” FMI? O mesmo FMI que hoje Lula não só não deu calote , como o “pagou”, repassando a dívida externa pela interna, (ou seja,trocando seis por meia dúzia).

    Sugestão: Gostaria que vc fizesse um post sobre os principais governos da República (GV, JK, REgime militar, FHC, Lula), mostrando lados positivos e negativos de cada um, para termos uma ligeira visão de política macroeconômica dos últimos 100 anos, e ver o que o futuro nos espera.

    • outubro 29, 2010 às 7:28 am

      Olá Gilx,

      Quebrar significa o país não ter condições de honrar seus compromissos, principalmente em relação à dívida pública, ou que passe por uma crise tão profunda que esta se irradie por outros países, como acontece com a Grécia hoje. Chegamos perto, mas felizmente fomos um dos poucos países emergentes que não sucumbiram e replicaram a onda de crises da década de 90. Os empréstimos que fomos obrigados a fazer na década passada foram justamente para evitar os riscos de uma moratória, o que caracterizaria de fato uma quebra.

      O caso do Ciro Gomes é parecido com o do Theotonio, que respondemos no último comentário. Puro ressentimento. Ciro, que foi ministro de FHC, esperava ser o seu sucessor. Quando foi preterido, saiu disparando, como é de costume.

  42. Leandro Maciel
    outubro 30, 2010 às 8:18 am

    Oi Amilton,

    achei este blog ao acaso no google, qdo procurava um texto semelhante no wikipedia, e vou resumir o que eu achei:

    VC É FODAO!!!

    Cara, estou na mesma faixa etaria q vc, porem nao tenho todo este conhecimento q vc mostrou em alguns artigos, apesar de me interessar muito pelo assunto e ler sempre…

    Com minha decepção no governo atual, q eu ajudei a colocar la, eu quase tomei raiva de politica mas acabo voltando a me interessar e penso seriamente em entrar pra este meio, por parecer ser a unica forma de ter como fazer algo pelo brasil…

    Bom, estava na minha lista de desejos criar um blog assim, com a mesma ideia, contextualizar, visto q ate a biblia é leva a entendimentos errados, qdo nao é contextualizada…

    Vc merece meus parabens e meu voto caso se candidate a alguma coisa… precisamos de gente assim pra melhorar este pais lindo em varios pontos e terrivel na politica…

    um super abraço, de um novo fã..rs…

  43. Leandro Maciel
    outubro 30, 2010 às 10:02 am

    so acrescentando.. estou desde +- 8 hrs da manha, lendo o artigo: https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/08/05/comparacao-fhc-x-lula/, pena q nao pude comentar la…

    mas ressalto o q escrevi no meu comentario anterior. gostei de ver q existem pessoas como vc e adoraria ve-los criando um novo partido “neutro”, q só pensasse no brasil… mas acredito ser utopia este pensamento..rs… pq somos humanos e nossos interesses pessoais sempre vao aparecer…

    mas concordo com várias coisas q vc postou naquele artigo… vc contribuiu muito pro meu conhecimento politico e economico… pena eu nao ter lido isto antes, pq teria espalhado para tudo qto é lado…

    tomara q estes artigos sirvam para melhorar a visao dos radicais…

    • outubro 30, 2010 às 8:43 pm

      Olá Leandro,

      Obrigado pelos elogios. Perceba que, apesar de toda a máquina de marketing do PT, existe ainda uma parcela da sociedade que percebe as manobras de Lula. Tenho orgulho de fazer parte desta parcela da sociedade e, apesar da perspectiva de mais uma vitória do PT, estou mais esperançoso quanto ao nosso futuro, pois achava que a Dilma venceria estas eleições de goleada. Pelo que podemos perceber até aqui, a disputa vai ser acirrada, o que mostra que muita gente está acordando para alguns assuntos que abordamos aqui.

      Outra coisa boa desta trágica eleição foi o surgimento da Marina como uma terceira via. Espero sinceramente que ela continue independente e que não se reaproxime do PT. Ela e o Aércio são os dois únicos nomes que vejo nas próximas eleições com alguma condição de enfrentar o PT.

      Também fico muito feliz em ver iniciativas da sociedade como o Ficha Limpa, o Transparência Brasil, o Adote um Vereador, entre outros, além do ótimo exemplo que surgiu das urnas, o deputado proporcionalmente mais votado do Brasil, o Antônio Reguffe, que chega cheio de boas idéias, principalmente em relação a nossa protelada mais urgente reforma política.

      Quanto a me candidatar a alguma coisa, lamento decepcioná-lo, mas não tenho a menor intenção. Primeiro, porque sou meio de pavio curto e certamente morreria de infarto de tanta briga que iria me meter. Segundo, porque sou tímido, não tenho o mesmo desempenho na oratória quanto na escrita. Terceiro, minha família detesta política. Vc não faz idéia do malabarismo que tenho que fazer para escrever neste blog.

      Sobre o post da comparação Lula x FHC, tive que encerrar os comentários a página ficou excessivamente lenta com o grande número de comentários. Já estou preparando uma nova versão, com novos dados.

      Abraço!

  44. Leandro Maciel
    novembro 1, 2010 às 10:10 am

    amigo, vc tem duas formas de lutar:
    – estar no campo de batalha segurando armas e tomando tiros
    – ou ficar escondido traçando os planos estrategicos q podem garantir a vitoria

    sendo assim, se vc nao se considera bom “ao vivo” sua forma de colocar as coisas pode ser decisivo para ajudar a quem tem bom desempenho “ao vivo”. Sugiro q vc comece a pensar nisto… tente achar algum partido, talvez a turma da Marina, q compartilhe pensamentos seus… e se nao tiver nenhum, de repente, mesmo sem se filiar a nenhum, tente dar suas contribuicoes… eu tenho feito isto sempre q posso…

    bom, pra sua leitura, eu vi este artigo agora… pode ser uma coisa interessante pra vc pensar em escrever: http://www.domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=268877

    vamos juntos fazer uma oposição responsável.

    • novembro 1, 2010 às 2:54 pm

      Olá Leandro,

      Então vou ficar com a segunda opção, até porque meu coração não é dos melhores, não suportaria ficar na linha de frente. Ehehehhehhe!

      Discordo apenas da necessidade de filiação partidária. Não quero e não pretendo fazer isso porque acho que isto tiraria minha independência. Mas vou continuar por aqui, dentro da minha disponibilidade de tempo, claro, dando a minha contribuição.

      Quanto ao artigo, vou dar uma olhada com calma à noite.

      Abraço!

  45. Severino de Aracajú
    novembro 4, 2010 às 11:01 pm

    Um filminho para ensinar economia a você e a esses seus seguidores que você engana:

    • novembro 4, 2010 às 11:20 pm

      Severino,

      Já conheço este videozinho, assim como tantos outros em que o PT criticava o que hoje defende. Coisas da política baixa que os eleitores conscientes deveriam repudiar, mas que infelizmente tomam partido e ficam se comportando como torcedores de futebol: só vêem o que querem ver. Ou seja, um lado da história.

      Neste caso, da marolinha, de fato a oposição (e especialmente o DEM) falhou feio. A crise de fato era grave e o governo fez bem seu papel de tentar tranqüilizar o máximo a população. Eu mesmo cheguei a mandar um email para o site do DEM criticando aquela publicidade ridícula na TV, pois via naquela atitude a mesma atitude que o PT teve quando o Plano Real foi lançado e tantas outras iniciativas do PSDB, uma dose de torcida pelo “quanto pior melhor”.

      Este é apenas mais um lamentável exemplo de oportunismo das oposições, de jogar no time do contra. O PT foi especialista nisso e, pode ter certeza, que se tivesse na oposição estaria cometendo o mesmo erro, lamentavelmente. O PSDB infelizmente parece que andou aprendendo também alguns vícios do PT. Portanto, é o sujo falando do mal lavado.

      Agora, neste episódio vale diferenciar o que é gasto e o que é investimento. O que os economistas aconselharam, e estavam corretos, foi o corte de gastos ou, no mínimo, não elevar os gastos fixos, algo bem diferente dos financiamentos essenciais em momentos de recessão. O governo fez investimentos, mas também continuou aumentando os gastos fixos, daí porque mesmo em seu melhor ano de crescimento Lula vai entregar o país deficitário e com uma dívida imensa.

      Felizmente, por aqui e em todos os demais emergentes, a crise de 2008 foi apenas um susto. Passada a fase de perplexidade inicial, tudo voltou ao normal e os emergentes voltaram a crescer forte, agora numa condição superior a da antes da crise, pois tornaram-se agora a “locomotiva” da economia mundial (puxados pela China, claro).

      Mas vc e tantos outros fanáticos preferem acreditar que a redução de impostos foi uma invenção do governo Lula, fazer o quê, né?

  1. outubro 11, 2010 às 11:26 pm
Comentários encerrados.
%d blogueiros gostam disto: