Início > Dívida Pública > Lula e a dívida pública (PARTE 3)

Lula e a dívida pública (PARTE 3)

setembro 12, 2009

Da insinuação à mentira em cadeia nacional

orcamento_governo

No post anterior, falamos das insinuações do Governo Lula sobre o suposto pagamento da dívida externa com as reservas cambiais. No último domingo, véspera do 7 de setembro, o Presidente da República foi além das insinuações e afirmou com todas as letras: “Não só pagamos a dívida externa, como acumulamos reservas de 215 bilhões de dólares”.

Bom, o Governo deve ter feito uma mágica para pagar a dívida externa em segredo, pois, dois meses antes, o próprio Governo divulgou mais um aumento da dívida externa que chegou em julho de 2009 ao recorde de US$ 267,482 bilhões – contando com os US$ 71,585 bilhões de empréstimos intercompanhias das multinacionais a suas subsidiárias no país (ver matéria no Valor Econômico).

Vale salientar que hoje a dívida já deve ter sido acrescida de mais alguns bilhões, pois ainda nesta semana o Governo conseguiu mais € 4.3 bilhõe em empréstimos a bancos europeus (Fonte: Blog do Álvaro Dias )

A apoteose da ignorância

O fato mostra como o presidente aposta na ignorância do povo. Certamente hoje milhões de brasileiros menos esclarecidos devem estar orgulhosos do país que conseguiu pagar a famosa “dívida impagável”. Afinal, quem vai duvidar de uma afirmação tão incisiva em cadeia nacional proferida por um Presidente da República?

Caberia a imprensa apontar tal absurdo, mas já estamos no fim de semana e até agora nenhum único comentário, nem uma simples alusão, mesmo entre os comentaristas econômicos. Nem mesmo o Observatório da Imprensa, normalmente tão atento aos deslizes do jornalismo tupiniquim, citou o fato.  Conclusão: o brasileiro não dá a menor importância para a dívida pública! (e Lula se aproveita disso)

Já vi este filme!

É com esta percepção, que o Governo continua na trajetória ascendente de endividamento, perpetuando o ciclo vicioso que compromete mais da metade da nossa receita com pagamento de juros e amortizações de dívidas. Da mesma forma que ocorreu nas eleições de 2006, quando as dívidas externa e interna explodiram (coincidentemente após as eleições de 2006), em 2010 a história segue na mesma direção.

Em 2005 e 2007 a dívida interna foi aumentada em 40%, enquanto que a dívida externa aumentou quase 20% no mesmo período.  (ver gráficos da segunda parte deste artigo).

Ao que tudo indica, teremos mais alguns bilhões de acréscimo nas nossas dívidas nos próximos anos. Na semana passada, o Governo anunciou a proposta de Orçamento para 2010 que prevê aumentos substanciais em todos os setores, especialmente para o PAC, que deverá receber em um só ano o equivalente a tudo o que foi investido em quase três anos de programa! Com isso, o Governo Lula tenta “desempacar” o PAC que, segundo o portal Contas Abertas, em quase três anos investiu apenas 7% do que foi prometido.

O festejado “Minha Casa, Minha Vida” também segue na mesma linha. Lançado com estardalhaço típico do Governo Lula com o objetivo de construir 1 milhão de casas, o programa que estava devagar quase parando até então, será intensificado em 2010 com recursos da ordem de $10 bilhões. Claro que este orçamento é irrisório diante do objetivo de 1 milhão de casas prometidos, mas o Governo pretende aprovar “mais de 700 mil projetos” este ano. Que fique bem claro que se trata de “aprovações”, não construções. Estas, claro, serão repassadas para o próximo governo.

O Bolsa-Família, principal cabo eleitoral do Governo, terá também um aumento no numero de pessoas atendidas, passando dos atuais 11 milhões para 12,7 milhões.  Isto sem falar no já expressivo reajuste acima da inflação em 2009, em plena crise mundial.

Para evitar qualquer obstáculo em seu projeto eleitoral, o presidente vetou 19 artigos da Lei de Diretrizes Orçamentárias, entre os quais os que limitavam as despesas com publicidade e com viagens (fonte: Globo.com)

Curiosamente, um dos poucos orçamentos que não aumentaram no próximo ano é da publicidade. Olhando os gráficos da evolução dos gastos nesta área, no entanto, percebemos o porquê da “surpresa”. Na verdade, os gastos já foram aumentados significativamente desde o início do Governo Lula, conforme mostra o gráfico abaixo.

evolucao_dos_gastos_publicidade_lula

Em outro gráfico, também publicado na Folha de São Paulo, fica evidente a preocupação do Governo com a própria imagem. Embora os recursos aqui sejam empregados teoricamente na “democratização” das informações do Governo, na prática, funcionam também como publicidade oficial.

evolucao_gastos_publicitarios_lula

A mobilização do Governo em torno do seu projeto eleitoral se reflete também nos gastos na estrutura da Presidência. Hoje Lula tem o dobro de funcionários do presidente norte-americano. O número, que já era alto desde o Governo FHC, aumentou mais 57% na era Lula, chegando a incríveis 3.431 funcionários. (Ver matéria publicada no Estadão)

O gráfico abaixo mostra a evolução dos gastos da Presidência, que em 2009 chegaram a ultrapassar os orçamentos da Câmara de Deputados e do Senado. E olha que nosso Senado é o mais caro do mundo. Segundo a ONG Transparência Brasil, um senador brasileiro custa o dobro de um norte-americano.

Fonte: STN - Ministério da Fazenda

Fonte: STN - Ministério da Fazenda

Os gastos com o cartão corporativo (motivo de vários escândalos nos últimos anos) também refletem o descontrole do Governo com os recursos públicos.

Fonte: Transparência Brasil

Fonte: Transparência Brasil

Para fazer frente a tais gastos (que incluem outros generosos aumentos de salários do funcionalismo, uma importante militância na hora do voto), a matemática do Governo conta com o aumento recorde da arrecadação de 15,5% (11% de aumento real + 4,5% de inflação).  Também aqui, quase nenhum questionamento da imprensa, pois, como pode a arrecadação aumentar 15% em um ano em que a previsão de crescimento do PIB é de 4,5%?

Certamente a conta não vai fechar e a diferença mais uma vez será incorporada a astronômica dívida interna (o imenso cartão de crédito do Governo), que deverá atingir a casa de R$ 1,6 trilhão em 2010 (isso na visão mais otimista, considerando a média de evolução dos últimos anos e sem considerar o ano eleitoral). Para isto contribui a redução do superávit primário (percentual do orçamento reservado para o pagamento de juros da dívida) que passou a ser deficitário desde junho deste ano, algo inédito tanto nos governos Lula, quanto no governo FHC. Ou seja, já não está dando para pagar nem mesmo os juros do “cartão de crédito” da dívida.

Herança maldita

Além da dívida pública astronômica, o Governo Lula vai empurrar para o próximo presidente a “bomba” do aumento dos aposentados, que deverá onerar os cofres públicos em mais de 50 bilhões. Como se não bastasse, o novo presidente vai herdar o compromisso de aumentos escalonados concedidos ao funcionalismo público em plena crise, o qual deverá onerar os cofres públicos em mais de 10 bilhões a cada ano, chegando a R$ 16 bilhões em 2014. Isto sem falar nos US$ 20 bilhões que serão investidos na compra dos aviões e porta-aviões que estão sendo negociados com a França e com os bilhões de investimentos que serão necessários para tocar os projetos do Pré-sal.

Emprestando o que não temos

Mais difícil de digerir tamanha irresponsabilidade com o uso dos recursos públicos, o Governo ainda consegue tirar do já deficitário orçamento alguns bilhões para emprestar aos nossos problemáticos vizinhos. Depois de levar calotes da Bolívia, do Equador e do Paraguai, o Presidente Lula já fechou acordos para emprestar alguns bilhões para a Argentina, para o FMI e até para Hugo Chaves.  Com isso, o presidente aumenta seu prestígio internacional. A conta, claro, vai para os próximos governos. Ou seja, para os nossos filhos e netos.

———————————————————————————

Para ver o primeiro artigo desta série, clique aqui.

Para ver o segundo artigo desta série, clique aqui.

Para ver o quarto artigo desta série, clique aqui.

Para ver o quinto artigo desta série, clique aqui.

Para ver o sexto artigo desta série, clique aqui.

Para ver o sétimo artigo desta série, clique aqui.

Para ver o oitavo artigo desta série, clique aqui.

Para ver o nono artigo desta série, clique aqui.

Para ver o décimo artigo desta série, clique aqui.

Anúncios
  1. Aline Leal
    setembro 12, 2009 às 4:02 pm

    “A apoteose da ignorância”. Descrição perfeita!

  2. Marcelo Campos
    setembro 12, 2009 às 4:41 pm

    Amilton, concordo em parte com vc. Existe um outro lado nisso tudo que vc não está levando em consideração. O presidente está criando um clima de otimismo que é muito salutar para a economia. Por isso que temos crescido tanto e fomos os primeiros a sair da crise. Pode falar o que quiser do Lula, mas ele é um gênio da política. Pode juntar os phds todos que não chegam aos pés do presidente! Sei que tem muito erro nisso tudo, mas o governo Lula é um sucesso!

    • setembro 12, 2009 às 5:44 pm

      Amigo, que Lula é uma raposa política isso é incontestável. O problema é que ele tem usado sua astúcia para o próprio engrandecimento, deixando o país em segundo plano. O próximo presidente vai pegar uma máquina engessada, com pouca capacidade de investimento. Então o povão vai ter saudade do Lula, abrindo caminho para um novo mandato em 2014. Se nosso país tivesse um pouco mais de educação, certamente nada disso aconteceria. Infelizmente cada povo tem o governo que merece.

    • Aline Leal
      setembro 12, 2009 às 7:33 pm

      PQP!!! mais difícil de digerir tamanha mentira é ver eleitores ignorarem as manobras do governo como se fosse a coisa mais natural do mundo.

  3. elizabetemattos
    setembro 12, 2009 às 5:40 pm

    Amilton, concordo integralmente com vc. Quem acha esse governo bom (um sucesso) pagará muito caro no futuro. O Lula não passa de um calhorda.

  4. setembro 14, 2009 às 5:38 pm

    Sobre a dívida pública, vale lembrar também mais dois pontos importantes:

    1- A discussão sobre o (quase) fim do fator previdenciário.

    2- A contínua emissão de títulos públicos. Pois, mesmo com a Selic mais baixa, em número de unidades monetárias, os títulos aumentaram consideravelmente. O governo alega várias razões, desde re-financiamento da dívida até recursos destinados a fins específicos.

    De qualquer forma, caso o risco Brasil ou pressões inflacionarias aumentem e façam a Selic aumentar, para reduzir a dívida o Brasil vai precisar queimar reservas para recompra ou arriscar aumentar a dívda pública para além dos 40%.

    O governo arrisca demais, em minha opinião. Aposta muito em otimismo.

  5. setembro 14, 2009 às 10:44 pm

    Oi Amilton!

    Eu vi que você fez um comentário no meu blog, mas por algum motivo eu não consegui publicar (culpe o google)!

    Decidi escrever aqui para você achar que não foi uma falta de consideração de minha parte, ok?

    Parabéns pelo trabalho!

    Abs.

  6. Pedro Pedra
    setembro 15, 2009 às 2:56 pm

    Quando voce vai começar a explicar a divida publica do São Paulo, que é o Estado mais devedor e com mais divida com a sociedade Paulista,. estou esperando.

    • setembro 15, 2009 às 7:56 pm

      Meu caro Pedro, o presidente do Brasil no momento é Lula. Por isso meus comentários tem se concentrado nele. Se em 2010 o presidente for Serra, pode ter certeza que continuarei aqui apontando seus erros. Certamente a dívida de SP é a maior do país, afinal é onde está concentrada a maior parte da nossa economia. Mas SP é um estado, não é o Brasil. Portanto, tenho muitos outros assuntos nacionais a discutir antes de falar especificamente de um estado, mesmo que este seja o mais rico.

  7. setembro 16, 2009 às 5:33 pm

    Caro Amilton,
    desculpe mas postei sues três artigos da dívida no Blogue do Planalto
    aquilo ali é um autêntico esgoto…
    É por isso que lhe peço desculpa kkkkk

    fraterno abraço

    Júlio Teixeira de Lima

    • setembro 16, 2009 às 5:45 pm

      Sem problemas. Quanto mais divulgação, melhor! 🙂

  8. setembro 17, 2009 às 7:51 am

    Somos tantos que pensamos assim, somos muitos que queremos que o Brasil seja mais digno, precisamos unir-nos, de uma olhada nesse meu post, ali tem links de varios movimentos e blogs de pessoas como tu e eu que queremos mudar o país. Agora como fazemos?
    http://brasilvotenulo.blog.com/2009/09/17/como-e-onde/

  9. jbmartins
    setembro 18, 2009 às 1:49 pm

    Pessoal é de arrepiar a entrevista do Presidente Lula neste Link
    http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/lula-propoe-uma-consolidacao-das-leis-sociais/ — vou colocar 2 trechos para so terem um ideia.
    “Nunca ouvi falar de ´risco Serra´ (risos). Posso falar de cátedra. Sofri com o ´risco Lula´ desde 1989. Em 1994, eu tinha 43% nas pesquisas em março e o que eles fizeram? Diminuíram o mandato para quatro anos e proibiram mostrar imagem externa no programa eleitoral. As pessoas pensam que esqueci isso. Quando chegaram as eleições para a prefeitura (em 1996), revogou-se a lei e todo mundo pôde mostrar imagens externas. Quando eles ganharam, aprovaram a reeleição. Então, essa coisa de ´risco Lula´ eu conheço bem.”
    “Em cem anos a elite brasileira fez 140 escolas técnicas. Como é que esse torneiro mecânico faz 114? Estamos criando um paradigma. Fui ao Rio Maranguapinho (no Ceará) um dia desses. Estamos colocando lá R$ 390 milhões para fazer saneamento básico. Em Roraima são R$ 496 milhões para fazer saneamento e dragagem. Você sabe quanto o Brasil inteiro gastou em 2002 em saneamento?
    Valor: Quanto?
    Lula: R$ 262 milhões. Então, estamos colocando num bairro de Fortaleza o que foi colocado no Brasil inteiro naquele ano.”
    olha o Sr. Luiz Inacio Lula da Silva realmente é o Cara, O Obama não brincou não.

    • setembro 18, 2009 às 7:42 pm

      Amigo, vai longe o tempo que eu me deixava “encantar” pelo discurso deste populista. Digamos que estou vacinado. Enquanto vc se emociona com os bilhões anunciados para os mega-projetos eleitoreiros eu fico contabilizando os bilhões que serão anexados à dívida interna. Fico feliz que o Brasil, apesar das amarras das dívidas, ainda está conseguindo crescer. Mas fico aqui pensando como estaria este país se se libertasse do colossal custo dos juros e da especulação financeira. Ajudei a eleger Lula porque acreditava que ele poderia acenar para alguma mudança neste que é o verdadeiro câncer do país, que consome metade dos nossos recursos. E o que o Governo tem feito? Tem induzido ainda mais a especulação, ao retirar impostos dos estrangeiros para que estes venham comprar títulos da nossa dívida interna, os quais rendem o dinheiro que Lula usa de forma eleitoreira em projetos desnecessários como o PAC, por exemplo. Ora, se o Governo, tivesse reduzido a carga tributária ao invés de aumentar, se tivesse apertado o cinto nos gastos para reduzir o custo da dívida, hoje não precisaríamos de PAC, nem o Governo precisaria estar lançando títulos da dívida para repassar bilhões para o BNDES para que este saia por aí distribuindo o dinheiro que não temos até mesmo em outros países. Não se iluda, amigo. É muito bom chegar numa loja e comprar com o cartão de crédito. O problema é que a conta vem depois. Infelizmente quem vai pagar a conta não será o “cara”. Felizmente para ele e para o Brasil, o cenário econômico mundial tem ajudado. O problema é que ninguém pode prever uma crise econômica. Nesta o Brasil se saiu bem, pois os capitais não fugiram como na época de FCH, até porque não tinham para onde fugir, uma vez que pela primeira vez o primeiro mundo entrou em crise. O problema é se o Brasil se tornar o foco de uma crise. Na Coréia aconteceu uma crise que se irradiou pelo mundo em um momento de forte crescimento nos anos 90. O Governo não está dando a atenção devida ao problema da dívida. Se houver uma outra crise nos próximos dois anos, aí a coisa pode feder. Pode ter certeza que não torço por isso.

  10. setembro 28, 2009 às 10:41 pm

    Para quem quer entender um pouco mais sobre os gastos públicos, sugiro o seguinte artigo http://logica-inversa.blogspot.com/2009/09/sobre-selic-e-o-governo.html#comment-form

  11. José Luiz P Santos
    setembro 16, 2010 às 7:44 am

    Brasil não pagou ???

    Acho que é melhor informarem-se melhor, até um desprovido de qualquer resquicio de sabedoria sabe, os 41 bilhões que FHC tomou em 1998, quando o Brasil quebrou com a crise asiática, uma porcaria de 400 bilhões US$, e lula pagou ao presidente Rato ou Hato, não me lembro bem o nome como se escreve, do FMI- ou seja, 21,5 Bilhões de dólares, mais 2.700 bilhões ao Club de Paris, e teria que pagar os resto, caso a oposição tivesse ganho iria pegar o restante dos 41 bilhões.
    Hoje com 15 trilhões de crise o Brasil não quebrou, pelo contrário, emprestou 14 bilhões de US$ ao FMI

    Divida da União são 64 bilhões e Lula tem 265 bilhões em reservas em dólares, dá para pagar e sobrar muito – Agora uma dívida de mais de Um trilhão, é a dívida de todo o setor privado, inclusive Estados e Municípios e Petrobrás(Que não é mais Estata, devido a lei 9468/97) do FHC, vão pegar dinheiro emprestado lá fora por ser juros baixíssimo! Vá entender melhor de conomia seus 5% de “sábios” brasileiros que querem um país conhecido como Republica das Bananas!

    • setembro 16, 2010 às 7:53 pm

      Olá José Luiz P Santos,

      Se o Brasil pagou a dívida externa, como explicar que ainda continue pagando juros? E por que será que todos os meses o BC divulga um valor cada vez maior da dívida externa, valor este que já se aproxima da casa dos US 300 bilhões?

      Ora, a dívida externa sempre teve uma parcela privada (quase um terço) e, no entanto, os governos anteriores nunca fizeram estas manobras contábeis que o Governo Lula faz para fazer as coisas parecerem melhores do que elas realmente são. Daí esta retirada do total da dívida da parcela privada e as dívidas das estatais e tentativa ridícula de fazer crer que a dívida externa é a mesma coisa que a parcela do FMI e do Clube de Paris.

      Veja que o Governo usa dois pesos e duas medidas, pois nas reservas contabiliza dinheiro privado como público para fazer esta suposição rídicula de que poderia pagar a dívida com as reservas. Veja o conceito de reservas cambiais no glossário UOL de economia para que eu possa lhe explicar didaticamente:

      “As reservas cambiais refletem o montante de moeda estrangeira (e ouro) acumulado pelo país. O resultado do Balanço de Pagamentos, que reflete o resultado monetário das transações de bens e serviços realizadas pelos brasileiros com o exterior (saldo em transações correntes), assim como o fluxo de capitais entre o país e o exterior (sejam empréstimos, financiamentos, aplicações em mercado financeiro, investimento direto em plantas industriais, etc), vai exprimir se houve acúmulo ou perda de moeda estrangeira no período, refletindo, portanto a variação das reservas cambiais.”

      Ou seja, ao contrário do que o Governo tenta fazer crer (e vc inocentemente acredita), a maior parte das reservas é constituída de dinheiro privado investido no mercado financeiro. Logo, não poderiam entrar nesta suposta subtração da dívida que o Governo adora alardear para mentir à população ignorante que pagou a dívida, quando, na verdade pagou apenas as parcelas do FMI e do Clube de Paris, pagamento este que de uma forma ou de outra teriam que ser feitos, pois as parcelas estavam todas agendas. O que houve, na realidade foi só uma antecipação do pagamento da última parcela, para criar o factóide do pagamento da dívida às vésperas das eleições de 2006. Para saber mais sobre mais esta manobra, leia o post 1 desta série https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/08/29/lula-e-a-divida-publica-parte-1/

      Ora, se tem tanto dinheiro em caixa por que será então que o Governo não paga pelo menos a metade da dívida? Não sei se vc sabe, mas as reservas também têm um custo financeiro aos cofres públicos. Ou seja, o Governo paga para manter a “poupança” e, por outro lado, paga os juros da dívida que diz que poderia pagar, mas não paga. Muito racional, não? Por que será?

      Sugiro também a vc a leitura do quarto post desta série sobre as reservas. Vc vai ver entender então porque o Governo não toca nelas mesmo tendo que fazer malabarismos contábeis para fechar as contas, como fez nos dois últimos anos. Segue o link: https://visaopanoramica.wordpress.com/2009/09/19/lula-e-a-divida-publica-parte-4/

      Sobre a dívida dos estados e municípios, vc também está equivocado. Elas fazem parte sim da dívida interna, pois foram incorporadas à união no Governo FHC, como parte das negociações com os governadores para a aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal. Este é mais um exemplo de como vcs, fanáticos petistas, deturpam as informações.

      E sobre o decreto que abriu o capital da Petrobrás (e que desde então a empresa triplicou sua produção), vale lembrá-lo que Lula fez o mesmo com o Banco do Brasil. Vc, portanto, demonstra ter aprendido com seu ídolo, pois também usa dois pesos e duas medidas: um para desconstruir FHC e outro para idolatrar Lula.

  12. Abbud
    setembro 16, 2010 às 9:50 pm

    Parabéns Amilton, uma pena que só 5% da população consegue enxergar o óbvio!

    É assim mesmo, em um mundo de cegos quem enxerga é considerado aberração!

    • setembro 16, 2010 às 10:04 pm

      Pois é, amigo. Temos que ter paciência. Um dia estas verdades vêm à tona. Aguarde as cenas dos próximos capítulos: Dilma se distancia de Lula!

      Por enquanto, tudo que podemos fazer é falar a verdade e tentar mostrar a este povo iludido o grande ilusionista que este cara é.

  13. Rafael
    setembro 18, 2010 às 6:43 pm

    Não conhecia seu blog, é muito bom!!!

    Vou favoritar e aparecer sempre por aqui, continue o ótimo trabalho!

  14. adilson carvalho
    outubro 25, 2010 às 11:09 am

    Amilton sou apreciador da pessoa do Lula,mas, não posso deixar de levar em conta as considerações aqui postadas, conclui, que infelizmente o governo Lula vem menosprezando nossa inteligência ao longo de seu mandato, acho que muita gente insiste em defender a política do governo do PT primeiro por pura ignorância e segundo por ódio as mudanças que o governo FHC realizou na economia,o que exigiu um grande aperto econômico em seus mandatos e propiciou a lei da selva ou seja os mais fortes sobrevivem os mais fracos sucumbem. Enfim é sempre bom lembrarmos que o Brasil têm 510 anos e não será o governo Lula em seus 8 anos que farão a mágica da transformação de nosso país, todos os governos anteriores e inclusive o governo atual contribuíram de maneira positiva ou negativa para sermos o que somos hoje. Coerência gente!!!!!

  1. setembro 12, 2009 às 5:19 pm
  2. setembro 27, 2009 às 8:46 pm
  3. outubro 10, 2009 às 5:14 am
  4. outubro 17, 2009 às 8:37 am
  5. outubro 24, 2009 às 10:32 am
  6. outubro 31, 2009 às 8:45 pm
  7. novembro 19, 2009 às 12:55 am
  8. outubro 14, 2010 às 2:28 pm
Comentários encerrados.
%d blogueiros gostam disto: